VOCÊ É O QUE VOCÊ COME

Publicado em 16/09/2017 00:09

Nunca gostei dessa frase.
Acho que porque nunca gostei de definições.
Você não é o que você come.
Talvez o que você esteja comendo seja resultado de um desequilíbrio.
Várias vezes eu escuto: Camila, tenho muita vontade de doce. Não consigo ficar sem.
E eu entendo.
Eu sei que realmente para algumas pessoas a vontade de doce é maior que tudo.
Então, antes de te rotular e dizer que você é o que você come, vamos entender o que está acontecendo com seu corpo para que ele necessite de doce.
O açúcar vicia.
Hoje já sabemos disso. Ele mexe no nosso cérebro com centros de prazer e recompensa da mesma forma que as drogas.
Algumas pessoas têm uma sensibilidade maior, por isso se viciam mais e realmente necessitam de açúcar. É o cérebro pedindo.
Outro ponto é a carência de nutrientes.
Quando você faz uma alimentação pobre em frutas, legumes e verduras, ou seja, sem vitaminas e minerais, sua célula entende que falta nutriente e seu corpo te estimula a comer para tentar compensar essa falta.
O problema é que normalmente a desnutrição (falta de nutrientes) vem acompanhada de falta de energia. E seu corpo se confunde.
Você não precisa de energia, às vezes já tem de sobra aquela capinha de gordura, mas seu corpo carente de nutrientes te faz ter mais vontade de alimentos fontes de carboidrato (doce, pão, massa).
Por isso, você não é o que você come.
Você é o que você está.
Então, precisamos mudar esse desequilíbrio para que seu corpo funcione adequadamente.
A vontade de doce desaparece quando você têm quantidades suficientes de nutrientes.
Não rotule-se.
Entenda-se.

Uma vida saudável começa pela alimentação!
Consulte sempre um nutricionista!

Última Edição