Administração Municipal de Três Fronteiras está oferecendo aulas gratuitas de dança

Publicado em 13/11/2021 00:11

Por Lelo Sampaio e Silva

A dança pode ser praticada de diversas formas e em vários estilos, existindo uma modalidade diferente para quase todas as pessoas, de acordo com suas preferências.
Além de ser uma forma de expressão criativa, ainda traz muitos benefícios para o corpo e mente, sendo uma ótima opção para quem não gosta ou não pode praticar exercícios de grande impacto.
Ademais, não existe limite de idade para dançar e, desta feita, é uma atividade que pode ser iniciada na infância ou idade adulta e mantida até a idade mais avançada.
Dançar é um tipo de atividade que necessita de uma boa capacidade de memória, não só para decorar esquemas, mas também para lembrar como cada passo é feito.
Sendo assim, é uma boa opção para quem precisa estimular sua memória, pois ao longo do tempo vai se tornando mais fácil decorar novos passos. Como envolve muita atividade cerebral, a dança também ajuda a evitar a deterioração das células nervosas do cérebro e, por ser uma atividade divertida, ela permite esquecer vários tipos de problemas e focar apenas no que se está fazendo e, por isso, é mais fácil liberar o estresse acumulado durante o dia no trabalho ou em casa, por exemplo.
Pelo fato de, na maioria das vezes, envolver diversas pessoas, ela aumenta a interação social e evita o isolamento que, muitas vezes, é responsável por levar à depressão.
Pensando nisso, a Prefeitura do Município de Interesse Turístico de Três Fronteiras desenvolveu um projeto de aulas de dança que estão sendo oferecidas gratuitamente a população.
A O Jornal, a presidente do Fundo Social de Três Fronteiras, Marlene Bregatine Belão, destacou que o prefeito Bim Belão pensou em uma atividade que pudesse elevar a autoestima das mulheres, bem como promover mais saúde física e mental.
“Neste projeto, podemos dar ênfase ao empoderamento feminino, pois a dança é uma modalidade capaz de despertar nas mulheres mudanças necessárias para a sua evolução”, disse a presidente do Fundo Social.
As aulas, com duração de uma hora, acontecem no Centro Comunitário, as segundas e quartas-feiras, das 18h30 às 19h30 e das 19h30 às 20h30.
“Temos duas turmas com 40 participantes cada e as alunas aprendem diversos ritmos, como o sertanejo, axé e o funk. No ano que vem pretendemos dar continuidade ao projeto, porém com estilos de dança que a população desejar”, pontuou Marlene B. Belão.
“Nas aulas, que são oferecidas a mulheres entre 18 e 59 anos, elas trocam experiências de vida, fortalecendo o vínculo social e, consequentemente, melhoram a autoestima e o convívio comunitário e familiar, podendo também melhorar seu bem estar físico e mental”, finalizou a presidente do Fundo Social, Marlene Bregatine Belão.

Última Edição