Animais extinguem a solidão e são principais companhias de quem mora sóc

Publicado em 6/12/2018 00:12

Por Lilian Castilho

Adultos e idosos que moram sozinhos recorrem à companhia dos animais para fugirem da solidão e se respaldarem no acalento dos bichos. Sejam cachorros, gatos, papagaios, entre outras espécies, os animais se tornam cada vez mais a companhia preferida entre as pessoas, por serem fieis escudeiros de seus tutores.
De acordo com o último censo do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística –, 62% dos domicílios brasileiros possuem pelo menos um cachorro e um gato, fora outras espécies que não foram contabilizadas. Estima-se que hoje há um total de 52,2 milhões de cães e 22,1 milhões de gatos no Brasil.
Em Santa Fé do Sul é praticamente impossível achar uma residência que não tenha um animal. Em sua maioria cachorros e gatos.
Assim é o caso de Neusa Maria Marques dos Santos, pensionista de 63 anos, moradora de Santa Fé do Sul e que possui nove cachorros, três grandes e seis pequenos, que, somados a um papagaio, que fazem a alegria da casa e, claro, companhia para a dona de casa.
Ela disse que sempre teve animais em sua casa, mesmo quando morava com filhos e netos. Depois todos foram morar distante, ela passou a reconhecer ainda mais a presença dos animais em sua vida, como protetores, amigos e companheiros no dia a dia.
“Eu sempre morei acompanhada por pessoas, depois morei um tempão sozinha e para não ficar a mercê das situações adversas que podem acontecer, passei a admirar ainda mais a companhia dos bichos, pois eles são as minhas alergias e os que movimentam a casa”, disse Neusa.
Contando a sua história, Neusa se emociona ao falar da importância dos animais em sua vida e como eles são importantes na sua história. Segundo ela, se tivesse condições ou morasse em um local maior, teria muito mais animais para fazer companhia a ela.
“Enquanto Deus me der vida eu cuidarei deles com todo amor, carinho e respeito a que sempre dedico. Eles são seres diferenciados, pois também reconhecem pessoas do bem. Estou sempre tomando conta deles, até aqueles que estão na rua, se sei quem é o dono, coloco para dentro. Quando não, tento encontrar alguma solução para eles”, explicou.
Segundo Neusa, o sucesso dos animais em fazer companhia às pessoas, nas mesmas condições que ela, é a influência que eles têm no bem-estar que promovem.
“Eles fazem companhia, nos desestressam, nos passam segurança e dão vida ao ambiente da casa. Tenho cachorros em todos os cômodos, converso com eles, trato deles com o melhor que eu posso. Ofereço ração de primeira linha e eles me respondem da melhor maneira possível, com amor legítimo e incondicional”, finalizou.

Última Edição