Bancos podem negar crédito ‘para sempre’ a quem já teve o nome negativado

Publicado em 7/07/2018 00:07

Por Daniela Trombeta Dias

Os serviços de proteção ao crédito, como SCPC e Serasa, não podem deixar o nome de um cidadão sujo por mais de cinco anos. Porém o que pouca gente sabe é que mesmo que uma pessoa já tenha tido seu nome sujo só uma vez, pago todas as dívidas, limpado o nome e comprove uma boa situação financeira atual, os bancos podem negar qualquer tipo de crédito (inclusive um simples cartão de crédito) para o resto da vida.
Isso porque os bancos possuem sua própria ‘lista suja’ de quem já foi inadimplente. Com dados obtidos do Banco Central, os bancos sabem se qualquer pessoa já deveu antes e podem negar empréstimos para sempre e, pela lei, os bancos não são obrigados a emprestar dinheiro a ninguém.
Dessa forma, se algum cidadão ouviu de um gerente de banco que ele possui restrição interna, negando-lhe o crédito, com certeza o banco teve acesso a informações do Banco Central e, mesmo que já tiver quitado dívidas pendentes, depende do banco ceder ou não seu pedido, seja ele de cartão de crédito, financiamento ou qualquer outro tipo de crédito.
Flávia Oliveira, de 35 anos, conta que por sete anos ficou com o nome sujo. “Fiquei desempregada e com dívidas. Quando consegui um emprego registrada demorei para organizar as dívidas e precisei dar prioridades a contas básicas da casa, por isso, meu nome ficou sujo. Quando pude, procurei meus credores, negociei e quitei. Um ano depois, procurei a Caixa para financiar uma casa e não consegui. Cheguei a desanimar, mas após oito meses fiz outra tentativa e consegui”, contou ela.
O jovem Henrique Costa, de 22 anos, ficou seis meses com o nome sujo e, com apenas cinco meses com registro em carteira, ainda não conseguiu um cartão de crédito no banco. “Fiquei muito tempo sem emprego, e quando quitei minha dívida fui pedir outro cartão no banco e não consegui. Acredito que por ser jovem, ter feito dívidas no cartão e não possuir nem um ano de registro em carteira é que o banco me negou o cartão. Pretendo pedir em outras agências bancárias”, disse.
Segundo a advogada Elaine Silva Moreira, a maioria dos bancos consideram arriscado demais conceder crédito para quem quitou as dívidas após negociar descontos.
“Mesmo se a pessoa tiver quitado a dívida e limpado o nome, o histórico de que teve algum problema permanece nos cadastros privados dos bancos. Caso a pessoa insista em ter o crédito, ela pode entrar na justiça para exigir a reabilitação de crédito. Ela também pode abrir uma reclamação no Procon e no próprio Banco Central”, explicou.
*Flávia Oliveira – nome fictício.

Última Edição