Comandante da Guarda Civil Municipal esclarece sobre fiscalização na porta das escolas do município

Publicado em 13/04/2019 00:04

Por Bárbara Scholl

Após a ocorrência do massacre na Escola Estadual Professor Raul Brasil, que aconteceu em 13 de março, no município de Suzano, alguns pais da Estância Turística de Santa Fé do Sul começaram a ficar preocupados com a segurança nas escolas do município.
A reportagem de O Jornal entrou em contato com o comandante da Guarda Civil Municipal para explicar como está sendo feita a segurança nas portas das escolas da cidade.
Em entrevista à reportagem, Everson Merighi Pinha explicou que o atentado que ocorreu na escola em Suzano é um caso isolado, e que infelizmente o ocorrido pode acontecer em qualquer local do mundo.
De acordo com ele, quando fatos como esses acontecem, sempre traz um alerta e preocupação para todos.
Pinha explicou que a segurança nas portas das escolas de Santa Fé é realizada há muitos anos. “Todas as escolas têm portões eletrônicos e ficam fechados; é realizada a ronda escolar pela Guarda Civil nos horários de entrada e saída dos alunos, nas principais escolas em dias alternados; além disso, nós vamos até as escolas fora do horário de intervalo, entrada e saída para ver se está tudo certo”, enfatizou.
O comandante relatou que em Santa Fé há 22 unidades escolares, e que é quase impossível e inviável a Guarda Civil estar presente em todas as escolas. “Trabalhamos de acordo com a necessidade, visando sempre a segurança dos alunos e o trânsito ao redor da escola. Dependendo da necessidade, priorizamos aquelas escolas em determinados dias da semana, até que possa sanar o problema”, salientou.
Ele comentou ainda que este trabalho da Guarda Civil nas unidades escolares é realizado visando a segurança dos estudantes.
A moradora de Santa Fé do Sul A.I.P.S. tem uma filha de 12 anos que estuda em uma escola do município, e relatou que após o massacre em Suzano, tem medo de deixar sua filha na escola, mesmo sabendo que isso provavelmente não acontecerá no município. “Este fato de Suzano me preocupou, e levantou o alerta, pois pode ocorrer em qualquer lugar. Não posso negar, mas o meu medo de deixar a minha filha na escola e acontecer alguma coisa com, mesmo sabendo do trabalho da Guarda Civil”, comentou.
O comandante afirmou que os pais podem contar com a Guarda Civil, e que eles observem os filhos dentro de casa, a rotina e a conduta deles, para que não venham a cometer nada de ilícito dentro das escolas.
“A população é o maior agente fiscalizador da segurança pública, e que se qualquer pessoa vir alguma coisa irregular, que ligue imediatamente para a Guarda Civil e denuncie”, explicou.
Pinha ressaltou que as rondas escolares continuam de acordo com a possibilidade e que está sempre visando à segurança dos alunos. “Tranquilizo os pais, pois Santa Fé do Sul é um município ainda pequeno, que a segurança ainda está controlada e que iremos trabalhar sempre com planejamento”, finalizou.

Última Edição