Funec conta com espaço para aulas práticas aos alunos do curso de Engenharia Agronômica

Publicado em 10/02/2018 00:02

Da Redação

O curso de Engenharia Agronômica da Funec – Fundação Municipal de Educação e Cultura –, com o objetivo de oferecer aos alunos um espaço para colocarem em prática o conteúdo visto em sala de aula, tem suas aulas práticas de campo desenvolvidas no Nepe – Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão -. Mesmo tratando-se de um curso recente, o local encontra-se em pleno funcionamento.
A área, supervisionada pelo professor Allan Hisashi Nakao e com auxílio da coordenação do curso, está sendo cultivado milho, feijão guandu e soja, e os experimentos são realizados para o aumento da produtividade dessas culturas em nossa região.
Além disso, a área abriga o projeto Agronomia Social, coordenado pelo professor Douglas Costa Martins, por meio do qual hortaliças e outros produtos oriundos das atividades desenvolvidas no núcleo são doados a entidades locais.
Segundo a coordenadora do curso, professora doutora Rosylaine Aparecida Pereira, é de extrema importância a existência dessa área experimental para o curso, que servirá de sede para a maior parte dos experimentos, dos trabalhos de conclusão de curso, das aulas práticas e dias de campo. “Além do incremento imenso à aprendizagem do aluno, todas essas atividades ajudam no desenvolvimento da agricultura na região, testando técnicas, procedimentos e culturas que poderão servir como alternativas aos produtores”, disse.
Ela também afirmou que todos os envolvidos estão satisfeitos com os primeiros resultados obtidos com os trabalhos desenvolvidos, vislumbrando o quanto essa área será importante para o desenvolvimento da região e dos alunos.
Para a diretora geral e pedagógica da instituição, professora doutora Sâmira Ambar Lins, o espaço é essencial para o processo de aprendizagem do aluno, haja vista que a formação acadêmica só é completa quando se alia a teoria à prática. “No Nepe, os discentes realizam atividades que, além de resultarem em aprendizado, tornam-se também uma importante fonte de pesquisa e contribuição com a sociedade, já que os alimentos são doados às entidades assistencias”, finalizou Sâmira Ambar Lins.

Última Edição