Liga de Cirurgia Geral da Medicina realiza ação em conscientização à prevenção ao câncer de próstata

Publicado em 13/11/2021 00:11

Da Redação

Os acadêmicos do curso de Medicina do Centro Universitário de Santa Fé do Sul – Unifunec-, por meio da Liga de Cirurgia Geral da Medicina (Lacige), realizaram no último domingo (7), na Feira do Produtor Rural, uma ação em celebração à Campanha de Conscientização Sobre o Câncer de Próstata, lembrada no mês de novembro.
O objetivo da atividade foi levar informações sobre a importância da prevenção ao câncer de próstata e da realização dos exames para a detecção da doença, que são o toque retal e a dosagem do PSA (antígeno prostático específico). Além das orientações, os alunos também realizaram aferição da pressão arterial.
De acordo com o doutor Vinicius Nakae, professor do curso na disciplina de Técnicas Cirúrgicas, os exames são indicados para homens acima de 50 anos, e a partir de 45 anos para aqueles com histórico familiar em parentes de primeiro grau, obesos e da raça negra. “O câncer de próstata é o mais comum nos homens, a cada 7, 1 terá. Também é o segundo que mais causa óbitos. No ano de 2020 foram diagnosticados 65 mil casos no Brasil”, explicou.
Vinicius ressaltou que a doença tem tratamento. “A doença tem tratamento, inclusive tratamento curativo, se diagnosticado precocemente, e se dá por meio de cirurgia e radioterapia, além da quimioterapia e hormonioterapia, em casos já avançados. Por isso é importante que se realize o exame uma vez por ano para que, caso tenha a doença, ela seja diagnosticada e tratada o mais rápido possível”.
Campanha Novembro Azul
Criada em 1999 na Austrália por um grupo de amigos, a campanha Novembro Azul visa a conscientização do câncer de próstata. No Brasil foi trazida pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia.
O câncer de próstata é a causa da morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas. No Brasil, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional do Câncer (Inca).

Última Edição