Maioria das vagas de trabalho na região é terceirizada

Publicado em 9/08/2018 00:08

Com a reforma trabalhista e lei da terceirização, mercado de serviços tende a crescer em 2018

Por Daniela Trombeta Dias

A cada 100 trabalhadores das cidades brasileiras, seis são funcionários terceirizados, ou seja, trabalham em uma empresa que fornece serviços a outras empresas. Mas essa estatística vem crescendo desde o ano passado, quando foram aprovadas mudanças que possibilitaram aumentar a atuação das empresas que atendem de forma terceirizada. Essas mudanças fizeram com que houvesse uma expansão maior na procura desses serviços neste ano. E isso ocorreu após ser aprovada a Lei 13.426/2017, lei essa que conseguiu oferecer mais segurança para empresas que contratam esse tipo de serviço.
Antes do surgimento da lei não existia nenhuma disposição legal que tratasse da contratação de profissionais terceirizados.
Muitos profissionais confundem o trabalho terceirizado com o trabalho temporário, porém, é importante entender que há diferenças entre eles, e uma delas é que o profissional temporário pode prestar serviço apenas durante 180 dias.
Entre os modelos mais tradicionais de serviços terceirizado estão os de limpeza, recepção, manutenção predial, portaria, setor de segurança patrimonial, contemplando equipes armadas ou desarmadas, porém na Região Noroeste Paulista o que predomina nas vagas e contratações são cargos como motoristas, tratoristas, auxiliar de serviços gerais, técnico em segurança do trabalho e outras.
De acordo com Kelly Vanessa Santos, especialista em Recursos Humanos e Psicologia Organizacional do Trabalho, gerente de Pessoas e Processos do Grupo Pessoa, a lei especifica que todos os serviços têm que ter uma mão de obra qualificada e para todo o tipo de setorização há uma mão de obra. “A vantagem para uma empresa que contrata mão de obra terceirizada é que ela receberá o trabalhador qualificado para o cargo e serviço que necessita, ou seja, para a vaga que precisa preencher. Já para o empregado, a vantagem é praticamente a mesma, haja vista que será contratado para exercer a função para a qual se qualificou profissionalmente”, explicou.
A agente relatou que as empresas líderes de contratação em mão de obra terceirizada na região Noroeste Paulista são as que atuam no agronegócio. “As principais são as usinas que atuam com contrato por tempo determinado, ou seja, por safra, na maioria das vezes, chamada de período sazonal, que é quando contratam para suprir as necessidades de produção final. A média de contratação na região é boa, mas acredito que todas as empresas e indústrias poderiam aumentar e potencializar essas contratações, aproveitando os benefícios da Lei 13.426/2017”, explicou.
Entre outras vagas terceirizadas no município no setor urbano estão as de auxiliar de serviços gerais e auxiliar de produção. Sabrina Nascimento, de 26 anos, atua como auxiliar de produção. “Já trabalhei registrada em carteira e agora terceirizada vejo que tenho mais vantagens, porque me sinto mais estável no emprego e ainda ganho mais. Não fico estagnada, dependendo do aumento do governo”, afirmou.
Já a ajudante de cozinha Miriam Borges de Amorim, de 50 anos, que hoje é auxiliar de serviços gerais terceirizada, conta que não vê diferença entre ser terceirizada ou contratada diretamente. “Já atuei como cozinheira, diarista e ajudante em quatro empresas terceirizadoras de mão de obra e não vejo muita diferença, o salário é sempre a mesma média”, disse.

Última Edição