Mais de 600 pessoas de Santa Fé já foram vacinadas com a ‘xepa’ da vacina contra a Covid-19

Publicado em 17/07/2021 00:07

Por Bárbara Scholl

No Brasil, mais de 40% da população já recebeu a primeira dose de alguma das vacinas contra a Covid-19. Para evitar desperdícios, desde fevereiro, perto do horário de fechamento das unidades de saúde, doses que sobram em frascos abertos do imunizante são aplicadas e isso só acontece quando o posto de saúde não tem mais pessoas do grupo prioritário para serem vacinadas. O nome “xepa” é em referência às sobras das feiras.
Essa atividade foi autorizada pelo Ministério da Saúde e não é considerada ‘furar a fila’. A medida segue as diretrizes do instrutivo da Coordenadoria de Vigilância em Saúde Covisa. “Quando houver frasco de vacina aberto no fim do expediente, para que não haja qualquer desperdício de dose, ela deve ser aplicada”, diz o documento.
Na Estância Turística de Santa Fé do Sul a “xepa” da vacina contra a Covid-19 também existe e diversas pessoas do município já foram beneficiada.
Em entrevista a O Jornal, a enfermeira da Vigilância Epidemiológica, Valéria da Silva Campoi, disse que desde o início da vacinação o município trabalha com a chamada “xepa”, disponibilizando aos grupos prioritários todas as doses remanescentes de vacina.
Até o momento 1.257 pessoas já deixaram o nome para a “xepa” e 621 já foram beneficiadas com ela.
Toda pessoa que ainda não foi vacina pode deixar seu nome na listagem para receber a vacina da “xepa”, porém, há alguns critérios prioritários que são adotados para que a pessoa seja convocada para receber essa dose. Em princípio, dependendo do tipo da sobra de vacina, são convocadas as lactantes; em seguida são convocadas as pessoas que apresentem a idade do próximo grupo de vacinação, bem como estudantes dos cursos da área da Saúde que ainda não receberam a vacina.
Todas as segundas e terças-feiras as ligações para as pessoas tomarem a “xepa” ocorrem a partir das 20h e nos outros dias a partir das 16h30. Esses horários podem sofrer alterações, levando-se em conta a quantidade de doses remanescentes. Em geral, após a ligação, as pessoas devem comparecer o mais rápido possível à sala de vacina.
Caso a pessoa não consega ir no horário para tomar a “xepa”, ela permanece na lista “xepa”, porém, não entrará mais como prioridade.
O ponto de vacinação que está disponibilizando a “xepa” da vacina é a Clias e para quem quiser deixar o nome na lista é só ir ao local, que fica localizado na rua 8, n° 440. Podem se inscrever pessoas a partir de 18 anos.
Valéria ressaltou que a “xepa” da vacina é importante para que eles possam aproveitar todas as doses. “Cada dose de vacina é uma vida salva e nenhuma dose deve ser desperdiçada. A ‘xepa’ tem contribuído para que possamos ampliar a vacinação para aquelas pessoas que ainda não fazem parte do grupo de vacinação”, finalizou.
Beneficiado com a ‘xepa’
O advogado Carlos da Silva Júnior, de 24 anos, foi uma das pessoas beneficiadas com a “xepa” da vacina contra a Covid-19. Ele deixou o nome na lista, na primeira semana de maio, e pode tomar a “xepa” no dia 28 de junho, às 20h30. Ele tomou a CoronaVac e a segunda dose será no dia 28 deste mês.
Para ele, ter a oportunidade de tomar a “xepa” é de extrema felicidade. “Quando deixei meu nome na lista da xepa sabia que tinha muita pouca chance e também esperava ansiosamente a minha faixa etária para me vacinar. Quando me ligaram informando que sobraram doses no dia, me emocionei. Estar mais próximo da imunização contra essa doença que ceifou milhares de vidas me fez de certa forma renascer”, salientou.
Questionado se imaginou que conseguiria tomar a vacina antes de todos da sua faixa etária, o advogado disse que “depois de deixar meu nome na lista da ‘xepa’, vez que é um direito de todos os populares, torci e rezei para que desse certo e, tendo dado certo, posso me sentir mais seguro – entendendo que só estarei imunizado às situações mais graves do vírus somente após a segunda dose. A vacina é a forma mais segura e confiável de se combater eficazmente o novo coronavírus”.
Carlos ressaltou que “estamos vivendo uma verdadeira guerra por vacinas. Se mais pessoas podem ficar imunes e ajudarem a diminuir os males causados pela Covid-19, por que não? Espero que todos possam em breve ter acesso à vacina. Vacinemo-nos. A vacina é a arma mais forte contra o vírus”, finalizou.

Última Edição