Para muitas pessoas, a comemoração do Dia das Mães será diferente

Publicado em 9/05/2020 00:05

Por Bárbara Scholl

A pandemia da Covid-19 que se alastra pelo Brasil fará com que muitas pessoas passem o Dia das Mães de uma maneira diferente, não podendo abraçar, beijar e algumas delas nem poderão viajar para visitar as suas mães e passar o dia junto a elas.
É o caso da moradora e empresária de Três Fronteiras Kenia Fernanda Silva, entrevistadas pela reportagem de O Jornal.
De acordo com ela, sua mãe, Maria Aparecida Nascimento Silva, mora em Campinas e este ano não receberá a visita de sua filha. “Não irei viajar para Campinas, pois os casos de coronavírus na cidade aumentaram bastante, então infelizmente passarei o Dia das Mães longe da minha mãe”, explicou.
Kenia salientou que atualmente sua mãe mora junto com o seu irmão mais novo.
Ela faz parte do grupo de risco e há seis anos teve um AVC e, por isso, está tomando o máximo de cuidado com ela, e preferiu não viajar.
Ela disse que está há cinco meses sem ver a mãe. “A saudade é grande, mas neste momento é necessário que pensemos no bem estar dela”, destacou.
Mesmo tendo que passar o Dia das Mães longe, Kenia afirmou que não a deixará de presenteá-la. “Enviei dinheiro para o meu irmão e pedi para que ele comprassse os chocolates que ela adora e os entregasse no domingo”, salientou.
A empresária enfatizou que passará o Dia das Mães com o coração apertado, mas pedindo a Deus que Ele cuide da saúde de sua mãe. “Jamais imaginei que passaria o Dia das Mães longe dela, ainda mais por causa de uma pandemia que a cada dia cresce mais, mas neste momento será necessário ficar longe”, enfatizou.
Kenia ressaltou que “o Dia das Mães são todos os dias, então respeitem, tenham muito amor e carinho, cuidem muito bem delas e um feliz Dia das Mães a todas”, finalizou.
Em contrapartida, a gerente comercial Jéssica Luiza da Silva, que é de Santa Fé do Sul, mas mora atualmente em Jales, no Dia das Mães viajará para ver a sua mãe Maria Bonetto Similini, que mora em Santa Fé.
Segundo a gerente comercial, como Jales fica próximo à Santa Fé, ela conseguirá viajar e passar o Dia das Mães junto com a mãe, mas terá que evitar dar abraços e beijos. “Faz cerca de oito semanas que não abraço a minha mãe. Ela está no grupo de risco, pois tem doenças pré-existentes e respiratórias”, explicou.
Jessica salientou que, com muita dificuldade, conseguiu comprar o presente de sua mãe. “Apesar de alguns estabelecimentos estarem atendendo poucas pessoas e tendo todos os cuidados possíveis para que não haja aglomeração, quando chegamos em uma loja já tem fila e demora para sermos atendidos, e isso acaba dificultado a compra do presente. Sendo assim, acabei optando pelo e-comerce eletrônico para presentear minha mãe”, enfatizou.
A gerente comercial disse que apesar da resistência da sua matriarca, sua irmã, suas duas sobrinhas, seu cunhado e ela passarão o Dia das Mães na casa dela, porém seguirão algumas restrições, como, por exemplo, não dar abraços, beijos e ficarão apenas para almoçar e não para passar o dia todo como era de costume. Além disso, durante a reunião de família, todos estarão com máscara.
Jessica entende que as pessoas que vão passar o Dia das Mães com suas mães devem aproveitar o momento, pois nunca se sabe o que pode acontecer. “Devemos aproveitar cada momento como se fosse o último na presença de quem amamos, demonstrando assim todo nosso carinho e afeto. Feliz Dia das Mães a todas as mães”, finalizou.

Última Edição