Petit Cake e Gavas se unem por uma boa causa

Publicado em 28/10/2017 00:10

Por Lelo Sampaio e Silva

A doceira Petit Cake, localizada na rua 7, nº 1060, reverterá hoje, dia 28, 10% de sua renda para o Gavas – Grupo de Apoio à Vida Animal – de Santa Fé do Sul, e esta é uma excelente oportunidade para quem quer se deliciar com as maravilhas servidas no local, e ainda ajudar a ONG.
Em entrevista a O Jornal, a presidente do Gavas, Conceição Silva Lizidatti, relatou que todos sabem que o Gavas cuida dos animais que a Prefeitura recolhe, geralmente cães e gatos abandonados, doentes ou acidentados. E, mesmo com toda a ajuda da Prefeitura, inclusive financeira, algumas necessidades precisam ser supridas. “A Prefeitura faz a manutenção do espaço físico, fornece ao CCZ – Centro de Controle de Zoonoses – a infraestrutura física, material de limpeza, a medicação básica, ração, o veterinário, o auxiliar de veterinário e um profissional de limpeza, porém as necessidades específicas dos animais doentes precisam ser supridas, como exames laboratoriais, exames de imagem, rações especiais, ração para desmame, ração para animal com alergia, e medicações específicas como quimioterapia e antibiótico”.
Como muitos desses itens são caros, a ONG necessita de doações para se manter.
Pensando nisso, a empresária Mariana de Araújo, da Petit Cake, procurou o Gavas com o intuito de ajudar a ONG. “Ela é protetora dos animais de forma independente, tem o perfil de protetora, e então me fez uma proposta para que hoje, das 15:00 à meia noite, parte do lucro será revertido para o Gavas. Estamos chamando a atenção para essas pessoas que gostariam de ajudar e não conseguem por motivos diversos, seja porque não suportam ver um bichinho machucado, seja porque trabalham demasiadamente e não têm tempo ou porque estudam fora, enfim, pelos mais diferentes, motivos, para que compareçam ao Petit Cake pois, além de saborearem as delícias da casa, contribuirão de forma significativa com o Gavas, pois sabemos que no CCZ há muitos animais necessitados e que precisam ajuda”, disse Conceição Lizidatti.
Ela explicou que quando surgiu o Gavas, seus voluntários realizavam diversas campanhas para angariar fundos para o custeio de alimentação, medicação, castração, dentre outros serviços. Atualmente, com o crescimento do número de animais que lá chega, o trabalho de cuidados é muito maior, o que impossibilita os colaboradores de irem à busca de recursos, como a venda de pães de queijo, que era realizada antigamente.
Conta de água
Quem quiser contribuir com o CCZ com qualquer quantia através da fatura da conta de água, basta ligar para os telefones 98132-4178 ou 98189-6666 que um representante do Gavas levará uma ficha de adesão junto ao Saae. A pessoa escreve seu nome, endereço e assina autorizando o valor que pretende doar. “Muitas pessoas já aderiram a esta campanha, e isso tem sido muito valiosa”, disse a presidente do Gavas.
Ela explicou ainda que é necessário recursos para suprir a necessidade especiais de cada caso. “Temos que fazer de tudo para dar uma reabilitação ao animal, não é só dar remédio e jogá-lo em uma gaiola, e uma forma de ajuda é através da conta de água. Hoje nossa principal entrada de recursos é através da conta de água, até porque o recurso que vem da Prefeitura paga uma conta que é dela, ou seja, com veterinário, auxiliar de veterinário e vacina, o recurso é somente para isso e mais nada, e todo o resto a gente tem que suprir. Embora a Prefeitura forneça uma ração básica, quando o animal está doente ou acidentado, muitas vezes não consegue comer uma ração dura, então a gente precisa de rações especiais.
Recolhimento de animais
Caso o cidadão veja algum animal abandonado, seu recolhimento é feito pela Prefeitura, e a pessoa pode ligar no setor de Zoonoses, cujo telefone é o 3631-2194.

Última Edição

primeira

primeira