Santafessulense está modificando a paisagem de algumas ruas de Santa Fé

Publicado em 10/03/2018 00:03

Por Bárbara Scholl

Em um mundo onde as pessoas estão cada dia mais egoístas, não é tão comum ver alguém com um extinto de pensamento no próximo. Em Santa Fé do Sul, encontramos uma pessoa que faz da solidariedade a sua filosofia de vida, praticando boas ações com o pensamento no futuro.
Em entrevista a O Jornal, conversamos com o santafessulense Cláudio Cesar Martins Moreira, de 54 anos, ex-comissário de bordo, e atualmente está aposentado. Há algum tempo, ele começou a plantar palmeiras na calçada de sua casa, por gosto próprio, e também pensando nas próximas gerações.
Cláudio Moreira, filho de Altino Alves Pereira, já falecido, herdou de seu pai o gosto pelas plantas ornamentais. Há cinco anos Moreira começou a plantar palmeiras em um lote em frente a sua casa, que fica localizada na Rua Inglaterra. Sucessivamente, ele estendeu a boa ação a para calçada de sua casa e deu sequência na plantação e foi dando continuidade ao trabalho até chegar na Rua Perimetral Leste, até o campo. Após pouco tempo, ele já havia contornado todo o Campo do Palmeirinha com as mudas de árvores.
Moreira começou essa plantação na gestão ainda do ex-prefeito Armando Rossafa, ao qual pediu a autorização para começar a plantar e fazer essa contribuição diferente e bonita para a cidade. “Eu fui pedir autorização para seo Armando para que começasse a plantar no lote e ele me falou que eu podia plantar o que eu quisesse, e foi assim que eu comecei”, explica.
“Meu maior interesse pelas palmeiras surgiu porque na medida em que vai conhecendo uma palmeira nova, você vai conhecendo suas características, como por exemplo, sua beleza, e isso faz com que você comece a se apaixonar cada vez mais por elas”, pontuou.
Cláudio conta que a sua vontade em plantar palmeiras em lotes e nas calçadas surgiu porque o terreno onde tudo começou era praticamente abandonado. De acordo com ele, lá tinha bastante praga, como carrapichos e toda vez que ele saia no portão de sua casa, aquela “paisagem” lhe incomodava. Foi pensando em transformar um terreno baldio em um ambiente agradável para ele e os demais moradores doz bairro que ele começou a limpar, retirando os entulhos, as pragas, organizar e plantar.
“Se cada um fizesse um pouquinho, mesmo que plantasse apenas uma árvore e cuidasse ou limpasse um lote, a cidade ficava ainda mais bonita”, enfatiza.
Todo o gasto que Moreira tem dessa boa ação que ele realiza com a limpeza dos lotes e a plantação das arvores é por conta dele e não cobra nada de ninguém. Apenas espera que a população dê continuidade em tudo que está fazendo.
O aposentado já até comentou com alguns amigos sobre seu pensamento no dia que ele chegar falecer. “Eu quero deixar um testamento doando a minha área, para que seja criada uma área de lazer”.
Ele concluiu que espera que essa sementinha que está plantando possa ser bem recebida e seguida pela população, pois trata-se ideia simples capaz de transformar a cidade.

Última Edição