UTI da Santa Casa de Santa Fé do Sul corre o risco de ser fechada

Publicado em 11/08/2018 00:08

Audiência pública será realizada dentro de 10 dias para que a decisão seja tomada em consenso ou que soluções sejam apresentadas para a permanência da unidade

Por Lilian Castilho

Em coletiva de imprensa, o provedor da Santa Casa de Misericórdia de Santa Fé do Sul, José Biscassi; a gerente de faturamento, Rose Paulon; o administrador hospitalar Diego Carlis dos Santos e o representante da mesa diretora, Ceju Morikawa, explicaram a atual situação financeira pela qual a entidade está passando, e possíveis providências que serão tomadas para minimizar o problema.
Dentre as alternativas para uma “dose homeopática” de solução, está o fechamento da Unidade de Terapia Intensiva da entidade, que apresenta um gasto mensal de aproximadamente R$ 150.000,00, um dos maiores consumos financeiros que a Santa Casa de Santa Fé do Sul enfrenta atualmente. Segundo os representantes da unidade, foram realizadas três reuniões, uma na segunda-feira, dia 6, com os médicos da UTI; uma na terça-feira, dia 7, com a mesa diretora e uma na quarta-feira, dia 8, com todo o corpo clínico hospitalar, para que todos tenham ciência da situação e colaborem na tomada de decisão.
“Ficou estabelecido, portanto, que faremos uma audiência pública, convidando toda a população santafessulense, empresários, clubes representativos, políticos locais, prefeitos da Comarca, vereadores, secretários, enfim, todos que tenham interesse em defender e nos ajudar a manter a Unidade de Terapia Intensiva ativa em nossa cidade”, esclareceu Biscassi.
“O ponto importante é que as pessoas tomem ciência do que está acontecendo e, principalmente, fiquem por dentro do gerenciamento da entidade. Queremos expor toda a problemática para chegarmos num consenso e numa tomada de decisão justa e equilibrada, pois desativar a UTI será um passo crucial para termos que fechar a Santa Casa num futuro próximo”, ressaltou Rose Paulon.
Os representantes esclareceram ainda que na audiência pública será possível a todos os participantes terem acesso a todas as informações referentes à situação financeira da Santa Casa, bem como terem noção de todos os recursos que a entidade recebe e todos os gastos que ela tem mensalmente.
“Em nossa realidade financeira pagamos uma dívida alta, que representa o valor aproximado de R$ 7.000.000,00, que está presente no histórico da entidade há anos. Também deixamos de receber, nos três últimos anos, do governo estadual, um montante aproximado de R$ 4.000.000,00, de um convênio firmado e que o governo demora para reativar toda vez que o contrato vence. Esse valor a gente não receberá mais, pois o acordo não é retroativo e não se torna dívida, é apenas um valor que deixamos de receber e, com certeza, faz muita falta para a manutenção da entidade”, explicaram os representantes.
Os representantes foram enfáticos ao afirmar que é importante a participação da comunidade civil e de representantes políticos na audiência pública, que deverá ser realizada no fim da próxima semana ou no início da semana do dia 20 de agosto.
“Iremos expor tudo o que acontece na Santa Casa de Santa Fé do Sul e queremos a participação de todos os cidadãos santafessulense e das demais cidades que formam a nossa microrregião. A participação dos prefeitos, vereadores, empresários e da população será de extrema necessidade para que tenhamos força, organização e planejamento para formalizarmos a solução da melhor maneira possível”, finalizou José Biscassi.
Mais informações serão divulgadas ao longo da semana, com local, data e horário para a realização da audiência pública.

Última Edição