A participação dos pais na vida escolar de seus filhos

Publicado em 1/02/2020 00:02

Entra ano e sai ano, seja na avaliação institucional ou na análise das causas dos desafios das escolas, a participação das famílias sempre é discutida nos planejamentos escolares.
Seja para compor o Conselho de Escola, a Associação de Pais e Mestres, participação nas reuniões bimestrais ou atendimento às convocações, a cada ano que passa a presença de mães, pais ou responsáveis na escola parece diminuir. Esse tema também é apontado como uma das causas do fracasso escolar.
Ações são propostas anualmente aproximar a família da escola: festas, apresentações artísticas e culturais, reuniões mais acolhedoras, palestras, dia da família na escola, entre outras.
Nos últimos anos venho acompanhando e me frustrando com a queda do número de pais presentes na escola. De acordo com o avanço no ano ou série, menos pais não acompanham ou deixam de acompanhar a trajetória escolar de seus filhos.
Não é raro, rodas de mães e pais nos portões das escolas falando mal de professores e gestores. Muito menos, transferindo responsabilidades da família para a escola.
Nesse momento tão complexo pelo qual estamos passando, de indefinição de valores, uma das questões presentes é que a escola vem desempenhando papéis que, em outros momentos históricos, eram exclusivamente de mães, pais e responsáveis.
“Não sei o mais o que fazer com esse menino. Se a escola não dá conta do meu filho, o que é que eu vou fazer?”. E a mais triste na minha opinião: “Eu desisto!” são frases que ouço cada vez mais.
A família é a primeira instituição da qual o indivíduo faz parte. São os valores e princípios familiares que prevalecem nos primeiros anos de vida e que influenciam a forma de aprender e conviver na escola, nas instituições religiosas, grupos de amigos, trabalho, etc.
É de fundamental importância que a família aprenda e ensine a valorizar a escola. O sucesso escolar também depende dessa parceria.
Aqui vai um apelo para quem tem filhos em idade escolar: conheça melhor a escola em que seu filho estuda; participe das reuniões; quando houver algum problema, vá até a escola saber o que houve antes de falar mal do professor ou do gestor; conheça o projeto político pedagógico; converse com os professores; olhe os cadernos; pergunte para seu filho sobre o que está aprendendo; ao reclamar, proponha soluções; reflita sobre de que maneira você pode contribuir com a escola que acolhe e ensina seu filho.
Juntos, família e escola, com certeza o presente e o futuro de seu filho ou filha será melhor.

Última Edição