Mais um ano letivo se passou…

Publicado em 14/12/2019 00:12

Todo final de ano é a mesma correria: fechamento de notas, relatórios, diário de classe, recuperação, relatórios, reuniões de conselho de classe/série, mais relatórios…
Aprova ou reprova? Para alguns um sofrimento, para outros, vingança. Se reprovar, vai garantir que o aluno tenha realmente novas oportunidades de aprendizagem? Se aprovar, vai ser justo com quem se dedicou o ano inteiro? Se reprova, vai afetar os índices e no próximo ano, quem sofre a pressão para elevar o desempenho dos alunos é o próprio professor. Se aprova, um desrespeito ao seu trabalho.
E aquele aluno que não fez nada o ano inteiro e aparece na última semana pedindo novas chances?! Só Jesus na causa. Tem professor que já colocou falta até o fim do ano.
Desocupação dos armários, devolução de atividades para os alunos, recolhimento dos livros didáticos…
É na reta final que parece que a coisa fica mais difícil. Férias é igual ir ao banheiro: quanto mais perto, mais vontade dá.
E, considerando que esse ano não passou, voou, parece que temos mais coisas em menos tempo para colocar tudo em ordem e chegar ao tão almejado e merecido descanso.
Tem professor nervoso e estressado. Aquele que não aguenta mais nem um dia.
Aquele que já saiu de férias mentalmente. Não consegue mais fazer nada.
Aquele, considerado esperto, que já antecipou tudo, mas no último minuto, vem o diretor com ordens da secretaria com mais tarefas e tem que incluir as novas informações na papelada ou no sistema, que já estava fechado.
Tem aquele que já está sofrendo pelo próximo ano. Mas como planejar se há poucas coisas definidas em um ano que se mudou o calendário, a forma de atribuição, a base nacional curricular, entre outras mudanças que ainda estão por vir?
Sem falar nos alunos que, embora ainda estejam em aula, depois que fazem as provas não querem fazer mais nada. A agitação contagia a escola, os alunos ficam pelos corredores. E aquela barulheira? Além de mais intensa, ferem mais ainda os nossos ouvidos, que parecem já não ter a mesma tolerância do início do ano.
Falta pouco, colegas! Viva um dia de cada vez, compartilhe com o grupo, trabalhe a paciência, peça ajuda aos amigos, familiares, colegas de trabalho e equipe gestora. Finalize a papelada, digite os dados no sistema, se jogue nas comemorações do fim de ano e descanse bastante nas férias porque, afinal, o ano que vem tem mais!

Última Edição