“CIDADÃO OPINAR? SÓ NAS URNAS! DEPOIS DA POSSE QUEM MANDA SOU EU”, só que não

Publicado em 14/09/2019 00:09

Vê-se no Facebook, em grupos de WhatsApp ou nas ruas uma grande parcela da sociedade santafessulense reclamando da incapacidade do governo em ouvir a opinião do povo, tanto sobre o Executivo Municipal, que sequer responde a sociedade civil organizada, quanto o Legislativo Municipal, que simplesmente parecem “existir”.
Imaginem só como a nossa cidade ganharia se a Câmara Municipal de Santa Fé do Sul se unisse para elucidar as questões trazidas pelos munícipes ou para defender os direitos que são retirados do povo de Santa Fé por iniciativa do Executivo. Uma casa unida é uma casa sólida, que caminha junto rumo a um só objetivo: o bem do seu povo, e não o do seu prefeito. Faço críticas apenas à atuação enquanto vereadores.
Outro ponto a esclarecer, é que o Executivo, isto é, o prefeito, não tem o poder na sua caneta. Ele tem prerrogativas e utiliza a caneta. Somente isso, simples assim. O poder sempre foi e sempre será do povo, bastando apenas a estes entenderem a força que tem.
Da mesma forma, por exemplo, no Unifunec, quem tem o poder? Resposta simples: os alunos! Não estou dizendo que a Administração e o Pedagógico não são importantes à manutenção deste poder, mas que devem sempre compreender de onde este poder vem. Não é porque os alunos não se organizam, e, quando se organizam trabalham ‘para a direção’ e não pelos alunos, que o anseio dos demais deve ser ignorado. Por exemplo: porque a mudança do horário das aulas do período noturno sem a devida consulta aos mais atingidos? Uma parcela grande dos estudantes é de outras cidades, são pessoas que trabalham. Muitos do estado do Mato Grosso do Sul, onde o relógio é atrasado em uma hora. Estes já saiam antes de seus serviços, de suas casas, agora, então, segundo alguns, não dá tempo nem de tomar banho!
O corporativismo, que é a defesa exclusiva dos próprios interesses funcionais de uma categoria profissional não deve ser utilizado para enfraquecer quem merece evoluir. Seja a sociedade ou os alunos. Os erros precisam ser enxergados. Os munícipes, alunos e professores merecem ser escutados.
Há pouco mais de um mês, foi prometido, de forma pública, melhorias aos alunos do Unifunec, como cadeiras novas (acolchoadas para todos, não apenas para os de Medicina) e ar-condicionado nas salas. Espero que quem de direito não tenha esquecido de tais promessas feitas, e que os alunos, também não. Não esqueçam também dos demais pontos levantados pelos alunos, como água ‘potável’ colorida, quadra do campus da Educação Física irregular e com mato, ah, o calor… Boa sorte, queridos.
Não vivam de promessas! Peçam demonstrações de boa vontade! Falaram que iria melhorar e… melhorou alguma coisa? Cada dia mais as administrações distanciam-se da participação da sociedade civil, pautando as decisões importantes da sociedade que vivemos em seus próprios interesses, o no caso do legislativo, nos interesses do prefeito. Mais uma vez, deixo claro que as críticas são à atuação profissional dos citados enquanto agentes públicos. Por fim, tentem não entender como crítica destrutiva, pois nem construtiva foi, são apenas fatos, e os fatos merecem ser observados e eu vou continuar fazendo isso.

Última Edição