DESRESPEITO COM SANTA FÉc

Publicado em 30/11/2019 00:11

Na última semana, fora anunciada a mudança da Aquishow da cidade de Santa Fé do Sul para São José do Rio Preto. Tal mudança é encabeçada, publicamente, pelos dirigentes da PeixeSP.
O nome Aquishow está registrado, atualmente, como bem imaterial da senhora Marilza Fernandes. O prefeito Ademir disse, em rádio, que segundo a senhora Marilza, a mesma criou o nome para o Plano de Governo do ex-prefeito Toninho Favaleça. Este ganhou as eleições, cumpriu o plano de governo e a Aquishow foi realizada. Se estava no Plano de Governo e foi realizada na sua maior parte com fomento municipal, não é do município? Se é, porque não o registraram antes? Pois se não foi pela ação, registrando, pecaram pela omissão. Mas, e se a omissão for proposital? Muito tem a ser conversado. Muitas são as obscuridades que precisam ser elucidadas. É verdade que existe um terceiro sócio da dupla da Aquishow que é desconhecido, escondido?
Na supracitada participação na Rádio em que abordou a situação em tela, o prefeito diz que prefere ficar em silêncio quando questionado se ainda considera Marilza sua irmã e Emerson seu amigo, e, particularmente, senti verdade quando falou sobre estar chateado e, implicitamente, ter se sentido traído. Mesmo com diferenças políticas claras, entre eu e o prefeito, sinto a necessidade de me compadecer e concordar que não há maior traição do que a traição de amigos. Ano pré-eleitoral os “amigos” darem uma facada dessas nas costas é complicado… E desinteligente. Ou será que estão numa queda de braço política onde quem perde é só Santa Fé? Egoístas.
Como se não bastasse, a conhecida discussão tomou proporções de fazer qualquer barraqueiro ficar com vergonha. Aconteceram embates acalorados entre os dirigentes da Aquishow, Prefeitura, futuros candidatos a vereadores que chegaram a propor coisas absurdas para fazer o Aquishow ficar (quem acompanhou sabe), empresários… enfim, virou briga de boteco, ficou baixo, ofensivo, um querendo ser mais “brabo” que o outro… Será só eu que vejo no momento a necessidade da unidade? Unidade de inimigos e amigos em nome da cidade. De governo e oposição em nome do município. Mas como fazer isso sendo que quem de direito não teve a iniciativa, até ontem, de brigar pelo nome e pela permanência deste evento na cidade?
O prefeito não é culpado sozinho, não! Ele sempre deixou claro o compadrio que tinha com estes que o apunhalaram pelas costas. Chamava-os de irmãos. Ninguém nunca achou que o princípio da impessoalidade não estava ausente neste caso? Mas, cá entre nós, ele está brigando como deveria? Está tomando as medidas que deveria? E a Câmara de Vereadores? Invés de criar moção de aplausos e indicações de cunho político, tinham que lutar pela nossa cidade. Aliás, vi belíssimas fotos de alguns membros do legislativo municipal em hotéis, cafés… Enfim, a viagem à São Paulo rendeu, né? Nada contra. Adoro viajar. Creio que gostem também… mas não se esqueçam que para turistar tem as férias. Lá vocês foram para trabalhar.

Última Edição