O racismo e a insignificância de quem o pratica

Publicado em 20/06/2020 09:06

De forma geral, o racismo acontece quando em ações ou pensamentos refletimos uma visão onde existe uma hierarquia dentre raças, e, no contexto da crônica de hoje, quando uma cor de pele supostamente vale mais que a outra. Além de ser uma visão egoísta, desinteligente, é um crime.
Partindo do pressuposto estabelecido pela Constituição Federal da República Federativa do Brasil de 1988, no caput do seu artigo 5º, a segurança que “todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no país a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade”. Em seu artigo 1º traz como fundamento a dignidade da pessoa humana. No seu artigo 3º dispõe que é um dos objetivos fundamentais do nosso país “promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação”.
Após toda essa garantia por força de lei criada pelo legislador constitucional, o código penal foi criado, através da Lei 10.741/2003, o crime de injúria racial, tipificado no Código Penal Brasileiro no artigo 140, parágrafo terceiro, tendo pena prevista de 1 a 3 anos de reclusão e muita. Além do mais, existe lei específica sobre o assunto, sendo a Lei do Crime Racial, de 2012, que tipifica diversas condutas racistas.
Entretanto, não é necessário somente que existam leis, mas sim que nós, cidadãos, sejamos capazes de entender a nossa igualdade e a nossa insignificância enquanto temos condutas racistas.
É necessário repensar padrões de beleza, vocabulário, e, inclusive, a forma com que agimos quando nos presenciamos com situações ou pessoas racistas, pois nessa briga devemos lutar pela igualdade.
Não podemos ser coniventes e tampouco propagadores da cultura racista que por séculos continua a existir.
Além de uma conduta digna de desprezo, quem faz o racismo demonstra a sua insignificância e deixa transpassar o egoísmo que este traz junto à sua alma.
Diante de inúmeras iniciativas antirracistas, eu não poderia deixar de fazer um pedido após toda essa explicação: se você é ou foi vítima de racismo, denuncie! Se você presenciar uma atitude racista, não deixe passar despercebido.
Só alcançaremos a igualdade se entendermos o quanto ela é tão importante. Lutemos!

Última Edição