‘Para tirar meu Brasil dessa baderna, só quando o morcego doar sangue e o Saci cruzar as pernas’

Publicado em 7/08/2021 00:08

Com esse verso da música “Quando morcego doar sangue”, do sambista Bezerra da Silva, inicio esta conversa ironizando a nossa realidade. Se no ano em que o cantor escreveu a música a situação do nosso país estava ruim, imagina hoje quando os políticos se alçam ao poder através de vias democráticas e as utilizam para calar seus críticos e diminuir ao máximo a existência de oposição.
O que mais de belo e sagrado existe na democracia é justamente a alternância do poder, pois o objetivo da democracia é exercer o poder de mudança, de revisão.
Como sempre me manifesto, está na hora de passarmos a parar de defender políticos e começar a requerer nossos direitos. Não podemos ficar para sempre jogando a culpa em outro governo, sendo que, na oportunidade de mudar, não se muda. Sendo que, na oportunidade de se fazer o que prometeu que faria, não o faz… A impressão que dá é que a população sempre troca “seis por meia dúzia”, onde nunca o centro das atenções é o povo, mas sim o interesse particular e ideológico de quem, democraticamente, foi eleito e alçado ao poder.
“E já não há alegria, de noite e de dia a tristeza não para/A vida custando os olhos da cara/E não temos dinheiro pra comprar/Quem governa o país é muito feliz, não se preocupa/Tem tudo de graça, não esquenta a cuca/E o custo de vida só sabe aumentar.” (Bezerra da Silva, 1990).

Última Edição