A arte é longa e a vida é breve

Publicado em 12/05/2018 00:05

O conhecido “A arte é longa e a vida é breve” tem um significado diferente do que parece num primeiro momento.
Esta frase é o inicio do livro de aforismos de Hipócrates e atenta para a área da medicina, apontando definições de atuações médicas. Na época “Arte” possuía diversos significados: “Técnica”, “Conhecimento”, “Ciência”. A arte de Hipócrates é a medicina, mas o que ele quis dizer se aplica a qualquer outra atuação que para ser realizada prescinda de planejamento e prudência.
A vida é curta, o estudo é amplo, a chance é arisca, a experiência é errônea e a decisão é difícil.
A arte, como trabalho intelectual, amplia a experiência que o homem tem do real e do imaginário, opõe-se ao trabalho alienante da sociedade moderna.
A função do artista é valorizar a consciência humana, pois ele sempre foi e continuará sendo os olhos, os ouvidos e a voz da humanidade, e com sua arte apresenta como num raio X os nossos verdadeiros estados da alma.
O que é lamentável é a forma como muitos artistas são tratados… Falta de espaço e de incentivo são apenas alguns dos problemas mais evidentes.
Enquanto trabalhos marcados por pesquisas neles investidos passam desapercebidos, outros trabalhos diluidores da informação, reproduções de clichês divulgados pela mídia são celebrados pelos consumidores de decorações e divertimentos culturais.
O cotidiano da política e da economia faz um discurso que se infiltra em todos os espaços, expulsando a cultura para a periferia dos interesses da cidadania. Há um desapreço geral pela cultura, que ocupa um lugar cada vez menos importante nos discursos do cotidiano.
Para ser artista, antes de tudo, é preciso ter um tráfico de influências pessoais; é preciso ter obstinação e não perder o entusiasmo diante dos desapontamentos.
Uma sociedade sem demandas culturais acaba fazendo da arte uma atividade menor. Recentemente surgiu uma pauta no STF, que previa desregulamentar as profissões de atores e técnicos de espetáculos, mas foi logo engavetada pela ministra presidenta depois das reações negativas e da manifestação de muitos artistas; contudo, o simples fato deste tema ainda trazer dúvidas de legalidade, contribui e reforça o desrespeito a classe. Esse desprestigio se manifesta nas tratativas que nem sempre constituem acordos, cancelamentos completamente antissociais são tratados com naturalidade, o descombinado é barato só para quem tem pouca arte, ou seja, não planeja com prudência, assim não a reconhece nem dá o devido valor, mas é caro para quem dela vive e vê desmerecida a sua parte.

Última Edição