A.A.B.B. 50 anos

Publicado em 23/10/2021 00:10

Fundado no dia 14 de outubro de 1971, o clube teve o seu primeiro presidente, Lucilio Rodrigues, conhecido como Gerson, Canhotinha de Ouro e o saudoso Arnaldo Aguiar, como vice. Dentre os inúmeros participantes estava Ivan Martins Hortega.
A sede foi construída provisoriamente onde hoje é a sauna. Havia o campo de futebol e a quadra. Muitos presidentes passaram pela administração do clube e colaboraram pelo seu progresso, mas, a partir de 1979, Ortogamis Bento, como presidente, iniciou a construção da sede atual, piscina, sauna, parque infantil, com exceção do bar circular, ao lado do campo de futebol que foi na gestão de Gino Ribeiro.
Ortogamis está há 30 anos como presidente. Na dinâmica administração atual, a moderna academia de ginástica, o campo de tênis e os recintos para festas complementam a grande estrutura e a beleza de um dos melhores clubes da região.
Na área esportiva, a AABB participou de nove torneios municipais de futebol de salão, denominado bola pesada, realizada na quadra do Iepim e foi oito vezes campeã. O primeiro time foi na época do gerente do Banco do Brasil, Caetano, que contratou o craque Macalé como guarda só para jogar no esquadrão alvi-celeste. Era praticamente impossível ganhar da AABB com jogadores do naipe de Antonio Carlos, Normando, Luiz Carlos, Tita, Pauleta, Granada e outros. Mesmo assim o timão perdeu a medalha de ouro para o Banco Novo Mundo, do gerente Silveira, que tinha no elenco nada menos que Longhinho, Texite, Moacir Carlos, Marinho e Toinho. Os reservas eram Nonato (Feijão), Dicão Pitaro e Watanabe.
Na área social tivemos o inesquecível baile com o Cassino de Sevilha e os excepcionais shows com Nelson Gonçalves, Jessé e os Demônios da Garoa. Outros eventos sociais muito esperados eram os almoços aos domingos organizados pela Bel, do Adalberto, Cleuza, do Zé Elias, Áurea, Sylvio Verssuti, o mestre cuca, capitaneados por Helinho e Dona Lourdes. É impossível não se lembrar do Seo Neusir e Idelmar, ótimos funcionários do clube. Imperdíveis eram os grandes churrascos a cada trinta dias patrocinados por Branco, Edmundo Queiróz, Tito Cardoso, Dr. Annibal e outros com chope e carne à vontade. Os churrasqueiros eram clientes do banco como Getúlio Faria, Bertão, Manolo e a família Cumini. Certa vez a dupla Christian & Ralf, no início da carreira, participou do churrasco e, quando perguntaram para o Lindão da banca de revistas se havia vendido algum LP deles, a resposta foi zero. Outro artista sertanejo que frequentava o clube era Zé Rico, da dupla com Milionário. Depois de jogar um racha que ele adorava, dava no bar do Dengue uma palhinha, mas nunca com as suas músicas de sucesso, tipo Estrada da Vida. Com um cordão de ouro no pescoço e um violão seresteiro soltava o vozeirão cantando apenas MPB e samba-canção.
Associação Atlética Banco do Brasil, parabéns pelo seu Jubileu de Ouro. É motivo para comemorar! Afinal são 600 meses, mais de 18 mil dias, meio século de atividades ininterruptas, eventos, torneios, horas de lazer, confraternizações e conquistas. São várias gerações de sócios, esportistas, artistas e atletas que passaram por ela.
A festa resgata a memória dos seus associados, suas experiências, vivências, sentimentos, emoções, olhares.
Este é o momento para expressar alegria, emoção, casos pitorescos de seus associados que construíram a história de um clube empreendedor, referência em lazer e entretenimento da região.

Última Edição