A fábula do dentista e o político

Publicado em 2/09/2017 00:09

O florista foi ao dentista para extrair o dente do siso.
Após a extração do elemento incluso perguntou ao dentista o valor do serviço e o odontólogo respondeu:
– Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário essa semana.
O florista ficou feliz e foi embora.
No dia seguinte, ao abrir o consultório, havia um buquê com uma dúzia de rosas na porta e um cartão de agradecimento do florista.
Mais tarde no mesmo dia veio um padeiro para obturar um dente. Após a obturação, ao pagar, o endodontista disse:
– Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário essa semana.
O padeiro ficou feliz e foi embora.
No dia seguinte, ao abrir o consultório, havia um cesto com pães e doces na porta e uma nota de agradecimento do padeiro.
Naquele terceiro dia veio um político para correção da posição do canino.
Novamente, ao pedir para pagar, o ortodontista disse:
– Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário essa semana.
O político ficou feliz e foi embora.
No dia seguinte, quando o nosso herói “Tiradentes” veio abrir sua clínica, o político havia voltado com o seu vice, os vereadores da base aliada, os comissionados e ainda, esposa e filhos…
Moral da estória: “ Em todo trabalho voluntário o político oferece apoio total e restrito”.

Última Edição