A Verdade e a Parábola

Publicado em 18/05/2019 00:05

Quando Romeu quis romper o namoro com Julieta, foi logo dizendo à amada que queria dar um tempo. Isso nada mais é do que prorrogar a relação. Em outras palavras, ele se utiliza de uma parábola para esconder a verdade.
E o governo Bolsonaro no episódio das verbas da Educação? Será que o contingenciamento é parábola ou verdade nua e crua?
Caríssimos leitores da “coruna”, quero convidá-los para ler uma estória sobre o tema para que possam refletir e concluir se é verdade ou parábola a polêmica do corte na Educação.
Um dia, a Verdade decidiu visitar os homens, sem roupa e sem adorno, tão nua e crua como seu próprio nome.
E todos que a viam lhe viravam as costas de vergonha ou de medo, e ninguém lhe dava as boas-vindas.
Assim, a Verdade ao percorrer os confins da Terra era criticada, rejeitada e desprezada.
Uma tarde ao passear alegremente pelo parque trajando um belo vestido e muito elegante, Parábola encontrou a Verdade, desconsolada e triste, perguntou:
— Verdade, por que você está tão abatida?
— Porque devo ser muito feia e antipática, já que os homens me evitam tanto! — respondeu amargurada.
— Que disparate! — Sorriu a Parábola. — Não é por isso que os homens evitam você. Vista agora uma de minhas roupas e veja o que acontece.
Então, a Verdade vestiu uma das lindas vestes da Parábola, e, de repente, por toda parte onde passava era reconhecida pelo povo.
Moral da História: Os seres humanos não gostam de encarar a Verdade sem adorno. Eles a preferem disfarçada.

Última Edição