Covid-19 – Prevenir é melhor do que remediar

Publicado em 18/07/2020 00:07

Você provavelmente já ouviu a frase “prevenir é melhor do que remediar” em algum momento de sua vida, e é real, pois prevenir a doença antes de tratá-la acaba sendo muito mais vantajoso, além de barato.
A preocupação do ser humano com a saúde vem aumentando com o passar dos anos. Costumes de antigamente, considerados tão normais, porém prejudiciais ao bem-estar, estão dando lugar a hábitos benéficos ao corpo, de forma que se diminua o risco de desenvolver doenças.
Não são apenas doenças comuns que podem ser evitadas no cotidiano. O estresse, o dia-a-dia moderno e a falta de tempo reservado a atividades simples podem prejudicar qualquer um e desencadear diversas doenças, como: cardiovasculares, câncer, diabetes estão entre as que mais matam. E adivinhe só: elas podem ser evitadas apenas mudando hábitos simples em sua vida.
No caso da pandemia que estamos passando pelo novo coronavírus, a profilaxia da Covid-19 está embasada nos hábitos de higiene, alimentação de qualidade, boa hidratação, sono reparador, atividade física, exposição ao sol, distanciamento social, evitar aglomerações e uso de máscara de proteção.
Como não temos vacina e nem fármaco específico para a Covid-19, devemos fazer o possível e o impossível para não contrair o novo coronavírus, principalmente idosos e pessoas com comorbidades que devem ficar isoladas.
Na busca por uma solução para a Covid-19, a ciência está voltada para a descoberta de um medicamento capaz de parar a infecção, diminuindo a velocidade de replicação do coronavírus dentro do corpo humano, ou ajustando a resposta imunológica do organismo para lidar com a ameaça. Enquanto alguns remédios estão sendo testados, a Ivermectina foi eleita por alguns médicos como fármaco na prevenção e tratamento precoce da doença, principalmente na fase I, apesar de não existir estudo científico que comprove sua eficácia.
Para se entender esta questão, é necessário fazer o delineamento do estudo. Os estudos científicos são divididos em dois tipos principais: os observacionais, nos quais o pesquisador não poderá intervir no paciente, e os experimentais, nos quais a exposição está sob o controle do pesquisador.
Neste caso foram realizados estudos observacionais por médicos de todo o mundo que comprovaram evidência científica.
Atenção: a Ivermectina, como todo medicamento, somente o médico assistente deve fazer a sua prescrição.

Última Edição