Mentira e Verdade

Publicado em 18/07/2020 00:07

Certo dia Dona Mentira fez um convite: – Venha, senhora Verdade, a água do poço está fresca, límpida e saudável. Beba um pouco e aproveite para banhar-se, pois o dia está fazendo muito calor. Enquanto ela, despida, se banhava no poço refrescante, aproveitando-se da boa-fé da Verdade, a Mentira pega as roupas, veste-as e sai a caminhar livremente pelas ruas do vilarejo como se a própria Verdade fosse. E todas as pessoas a admiravam e a aplaudiam pela aparência das vestes alvas e reluzentes da Verdade.
Percebendo o golpe da Mentira, a Verdade sai inteiramente nua à procura da Mentira para recuperar suas vestes. Mas é escorraçada pelas pessoas, que a acusam de impura, profana, imoral e desavergonhada.
A lição dessa fábula é que, como regra geral, é mais fácil e comum aceitar a Mentira vestida com as roupas da Verdade, do que aceitar a Verdade nua e crua. Por outro lado, a mentira é uma ilusão, é uma invencionice, é algo ludibriado, uma falsidade. A verdade é relativa ao fato real, é sincera, revela pureza de sentimento. O que pode ser fato (verdade) ou mentira (fake) neste ambiente toxicamente politizado da pandemia do coronavírus? Fakes (manipulação de informações) e tramas políticas nocivas aos reais interesses da coletividade podem ser comparados à Mentira vestida com as roupas da Verdade? Neste ambiente, com confinamentos residenciais – o que significa, em sentido prático, a restrição do direito à liberdade de ir e vir, além da restrição a direitos fundamentais – diariamente estamos sendo “sufocados” por intensa, incisiva e massiva veiculação de fatos e fakes, criando-se um estado de exceção quanto ao exercício de legítimos direitos sociais fundamentais. Redes sociais e meios de comunicações têm produzido, veiculado e disseminado um turbilhão de dados reais, às vezes falsos sobre a Covid-19. A politização desnecessária do problema do novo coronavírus procura “criar suas verdades” e ignora que o problema que estamos sofrendo deveria servir para unir lideranças (públicas e privadas) em nosso país em benefício do trabalho e da saúde do povo. A politização da pandemia no Brasil é explorada para fins diferentes das reais necessidades da coletividade. Estaria a sociedade preferindo ver a “Mentira vestida com as roupas da Verdade” em vez de aceitar “a Verdade nua e crua?”

Última Edição