Nélvio e Virgílio

Publicado em 19/10/2019 00:10

A infância é um período de descobertas e aprendizados. É uma época em que o corpo ainda está se formando, e o sistema imunológico está desprotegido contra a maioria dos perigos. Por isso, é também uma época de atenção redobrada dos pais.
É nessa fase da vida que o médico pediatra faz a diferença para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Ao conhecer e entender as doenças infanto-juvenis o profissional de saúde previne, diagnostica e trata as doenças com total segurança.
Foi exatamente há meio século que os pediatras, Nélvio Pala, de São José do Rio Preto e Virgílio Ribeiro Franco, de Jales, fizeram.
Foi uma geração de pacientes que foram assistidos por esses dois verdadeiros heróis da saúde pública pela competência, dedicação e amor ao ser humano.
Por uma coincidência do destino, ambos nos deixaram neste dia 11 de outubro uma grande lacuna na medicina pediátrica da região.
Nélvio Pala, 94 anos, rio-pretense, segundo seu filho Marcelo, foi exemplo de dedicação à medicina: “Meu pai sempre trabalhou como médico autônomo em seu consultório, onde fazia questão de exercer a medicina tradicional, com muita atenção aos pacientes para diagnosticar da melhor forma a doença e recomendar o tratamento mais adequado”.
Virgílio Ribeiro Franco, 78 anos, mineiro, que no início da carreira realizava os plantões na Santa Casa de Jales como voluntário. Era muito respeitado pelos colegas e querido pela população da região por sua dedicação aos pacientes, com muita responsabilidade e procurando sempre atender com atenção não só à criança, mas ouvindo também os pais. Dividiu a clínica com o colega e amigo Antonio Figueira Filho até o seu último dia.
Possivelmente a dupla Nélvio e Virgílio já está lá em cima, conversando e observando nossas crianças com aquele olhar clínico…

Última Edição