O regime semiaberto

Publicado em 27/04/2019 00:04

A união de um casal é dos momentos mais importantes na vida dos nubentes.
Entretanto, além do véu e grinalda, da cerimônia do sim e da despedida na igreja, os noivos precisam cumprir formalidades para o civil e definir os regimes de casamento.
E para levar adiante a formalidade, é necessário escolher em qual regime de bens a união será amparada.
Por exemplo, o tema “até que a morte nos separe” pode não ser algo prazeroso de ser decidido entre o casal, mas é necessário.
O advogado explica que a lei brasileira prevê quatro tipos diferentes de regime de bens no casamento civil. Os pombinhos devem escolher comunhão de bens, parcial de bens, separação de bens e separação parcial de bens para seguir adiante na formalidade.
Ansioso, o sujeito prestes a se casar, pergunta para o amigo já casado: – Em qual regime de casamento você se casou?
E ele responde: – Apesar de eu não ser político, jamais ter roubado dinheiro, atualmente estou no semiaberto, saio para trabalhar todos os dias, no fim do expediente, sou proibido de passar no bar para beber e, à noite, sou obrigado a voltar para casa. Para mim, companheiro, casamento e prisão é a mesma coisa.

Última Edição