Ventania

Publicado em 13/06/2020 00:06

O nosso herói de hoje é Osmair Poiati, o Ventania, grande profissional da área elétrica, hidráulica e de outros serviços de construção. Filho da D. Clarice Garcia e do saudoso José Poiati era natural de Jales onde nasceu aos 22 de janeiro de 1962 e, aos 58 anos, de maneira prematura, o grande ciclone se transformou em bonança.
Acredito que o codinome Ventania era devido a sua atitude de resolver os nossos problemas de maneira muito rápida. Afinal ele foi o meu amigo e colaborador no laboratório por mais de 30 anos. A qualquer hora do dia ou da noite ele era sempre prestativo, sorridente, simpático e eficiente no seu trabalho. Até aparelhos e equipamentos de análises clínicas ele consertava além de fazer a sua instalação. Ele chegava com o seu cabelo desgrenhado e a barba esbranquiçada como se fosse um furacão. Em minutos, como um tornado, realizava o serviço e depois da poeira baixar, se sentava com a gente para tomar uma pinga ou um café bem forte e bater aquele papo delicioso sobre o nosso cotidiano. Não sei se vamos sentir a falta da suave brisa de sua bondade ou dos seus lampejos meteorológicos na manutenção dos serviços.
Apesar de seus atributos especiais, Ventania não era o único e nem pretendia ser, pela sua humildade. Na cidade temos o famoso Ventania palmeirense. O Ventania fisioterapeuta, que foi meu aluno na faculdade, hoje brilha em Londres. Temos também em termos nacionais, o violeiro Lucas Ventania, o cantor hippie Ventania e a música Vento Ventania, sucesso de Biquini Cavadão. Você sabia que no Paraná existe uma cidade chamada Ventania? E a cor da tinta Coral Ventania tem o tom do azul da Prússia? E que no Congresso Nacional existe um painel de azulejos denominado Ventania, obra mais famosa da artista plástica Athos Bulcão? Ventania também é nome de fazenda em Minas e do livro da escritora Alcione Araújo. No modernismo dos pincéis, A Ventania é tela da pintora Anita Malfatti, contemporânea de Tarsila do Amaral.
Se um vento forte chega, não há lugar para onde correr, espere a poeira baixar. Certamente essa ventania vai encontrá-lo em algum lugar deste mundo. As mudanças que acontecem na vida, algumas vezes, são necessárias. Sempre digo que, em algum momento da vida, vamos enfrentar uma tempestade, que pode ser mais amena ou mais forte. Mas é fato, ela chega com a ventania e quando ela se for, seremos felizes para sempre?
Ventania, figura carismática e muito querida da nossa Estância e região, deixa a sua querida mãe Clarice, a amada esposa Marlene, os filhos Bruno Alexandre e Higor, além dos netos José Henrique, Izadora e uma imensa saudade de uma tempestade sem fim.

Última Edição