A VACINA VENCEU

Publicado em 21/08/2021 00:08

Ética é um termo que vem do grego éthos, significando comportamento, costume. Moral, do latim (mos) tem o mesmo significado.
Hegel foi quem fez a distinção de que moral significa moralidade individual e ética significa moral coletiva.
Profissão é o ofício, pois vem do grego ‘Kathékon’ e do latim ‘officium’.
Ter, portanto, ética profissional é aprender as necessidades do grupo humano em que se realiza o trabalho e, em tempos de pandemia, comunicando esperança e partilhando alegria de viver.
Aliás, em qualquer época o bom profissional deve assim se pautar, mas neste período, a recomendação da ética profissional, nos termos acima colocado, é imprescindível.
Quem se acha bom profissional, mas faz de seu ambiente de trabalho um terror e não espalha a alegria, bom profissional não é.
Vai causar, por exemplo, depressão, síndrome de pânico e outros problemas psicológicos em seus subordinados.
O exercício do profissional ético é muito diferente de ostentar um título ou exigir respeito de seus interlocutores. O profissional ético exige sinceridade, preocupações com a realização, profundo amor pelas pessoas, além de reciprocidade nas relações do trabalho, com dignidade.
O homem, antes de tudo, se julga moralista, e pensa que pode falar sobre o bem e o mal, como se fala da chuva e do bom tempo. Está aí o sinal de vulgaridade intelectual. Isso não é digno de uma boa ética profissional, principalmente em tempos de pandemia.
A conduta moral individual não deve esquecer que ela tem que estar em equilíbrio com o universo. A busca incessante do equilíbrio entre o ser e o todo.
Assim, agir, no tempo da pandemia, com retidão, buscando cada pessoa participar da criação de uma sociedade de irmãos e tomando sua parte de responsabilidade no andamento do mundo.
Os acontecimentos se manifestam: é preciso ouvir as suas mensagens.
Não é a exposição midiática, os fakes que vão provar a legitimidade e o valor do trabalho profissional, mas o testemunho da própria consciência.
Nesses tempos – mais do que nunca – é preciso clamar a consciência, porque os acontecimentos não obedecem aos desejos do homem.
A pandemia está alertando! Assim, mais do que nunca, a ética profissional ganha relevância no tempo da pandemia: a vacina está vencendo, a cloroquina e a ivermectina perdendo e com elas perderam e perderão os seus defensores, tudo porque faltou ética.
A ciência e a História são implacáveis.

Última Edição