‘AS MENINAS DA ESTIVA’

Publicado em 22/07/2017 00:07

A Estiva é um tradicional ‘Bairro Rural’ que mantém uma ‘Venda’ onde os ex-moradores daquele bairro frequentam, jogam truco e colocam as conversas em dia. A Estrada 12, em Três Fronteiras, também mantém a tradição.
Porém, voltando a Estiva, que é banhada pelo Córrego da Cabeceira Comprida, que alimenta a represa que abastece a água para Santa Fé do Sul, daí a sua importância, mas não menos importante é a tradição daquele bairro na política e no esporte local.
Sairam da Estiva um prefeito, o probo e competente Antonio Carlos Favaleça e o carismático vereador Aniceto Facione (Tieto). Têm até hoje várias família tradicionais morando naquele local: Ianel, Dório, Araújo, Favaleça, dentre outros.
Aquele ‘Bairro Rural’ com sua equipe esportiva participou ativamente dos campeonatos regionais, a exemplo do Pitarão e isso todos sabem. Tinha excelentes jogadores, dois quais lembro: Dorinho, Cargil, Ivair, Edson Araújo, Pedrinho Ianel, Zim Facione, compadre Cecílio, os saudosos Carlinho Dório e Belarmino, Olegário, Edmilson, Irineu Curti, Edmilson e Edvaldo Beloto, dentre outros, tudo sob o comando do Alcidinho Ianel.
Esse o lado masculino da história.
Vou contar a ‘banda feminina’ da história, das ‘meninas da Estiva’, que protagonizaram nos anos 80 o futebol feminino e que poucos sabem.
Quem comandava era o senhor João de Campos, com seu veículo Rural Willys, de cor azul e branca, que levava as ‘meninas da Estiva’, para todo lado e sorte que não havia fiscalização dos guardas rodoviários.
‘Reza a lenda’ que era para 5 passageiros, o veículo, mas cabiam 15 jogadoras.
Na última semana, as meninas, após cerca de 35 anos, se reuniram novamente.
Foi na chácara de propriedade da Tânia e desse colunista, e de um lado o plantel foi formado por Clarice Cuim, no gol; zagueiras, Tânia Cúgolo e Rose Dório; no ataque, Neuzinha Campos e Marta Araújo. O outro time formado, no gol, escalaram a Rosilaine Zaina; zagueiras, Camila e a nora do Ricardo Bená, Jaqueline. Atacantes: Marli Beloto e Mauriceia Ianel. Chegaram, quando o jogo já havia terminado: Andrecci Marchiori e Solange Facione, que prometeram se preparar para o ano que vem. Não pode comparecer, mas no ano que vem, promete apresentar seu belo futebol, a Marilza Facione, mãe do Bruno e da Ana Júlia e esposa do Pedrinho, que também representou a Estiva.
O time da ‘Dona do Campo’ foi derrotado pelo placar de 2 a 1, mas também o jogo teve como árbitro o Marcelo Ianel, irmão da Mauriceia e esposo da Camila, favorecendo a família e assim o resultado do jogo deve ser anulado, por suspeição do árbitro, porém o ‘Encontro’ deve ser renovado a cada ano, pois regado com muito amor e prova de sinceridade e que a amizade na infância é a que verdadeiramente permanece, pois envolve pueris laços fraternais.

Última Edição