BLOCO DO AVESSO

Publicado em 10/02/2018 00:02

Dos carnavais santafessulenses que me lembro, tivemos vários blocos de destaques, mas o que mais me chamou a atenção e foi marcante foi o bloco ‘Do Avesso’.
Talvez tenha esse bloco desfilado no Carnaval de nossa Estância no início dos anos 90.
Foi eminentemente de cunho popular e superou para mim o tradicional Soda na Caninha e o Coco Loco.
Os seus integrantes, pelo que me lembro, cometendo alguns equívocos foram Paulo Macedo de saudosa memória, Paulinho Cabeleireiro, Daniel Cúgolo, Telêmaco, Edivaldo Costa, Valter Barboza, Valéria, Rogério Leite e tantos outros artistas, poetas e boêmios.
De tudo que tinha de bom o que se destacava do mencionado Bloco era o fato de que tinha samba-enredo próprio, diferentemente dos demais que desfilavam ao som de músicas de carnavais gravadas.
Aos leitores, neste Carnaval, transcrevo a letra do samba:
“Lá na rua 16, apareceu o Bloco do Avesso
É do avesso, do avesso, do avesso
É do avesso inteirinho prá vocês.
Não dá corda para esse bloco
E nem me venha botar preço.
É do avesso, é do avesso, do avesso.
É do avesso inteirinho prá vocês.
Não é branco, não é preto.
E muito menos japonês.
É do avesso, do avesso, do avesso.
Aqui não tem boi de botas.
E nem perua de peruca.
É do avesso, do avesso, do avesso,
É do avesso inteirinho prá vocês.
Papaizinho, Mamãezinha, lamento mais vou lhe informar
Que nós nascemos do avesso, do avesso…
E do avesso nós vamos continuar.”
O Bloco, além do samba-enredo, contava com coreografia própria, ritmistas, fantasias, alegorias e passistas.
O incomum foi o fato de que o Bloco que trouxe a mensagem, já naquela época, do respeito às diferenças, combatia o preconceito e a intolerâncias.
O tema não ficou velho; pelo contrário, nunca foi tão atual, haja vista que tem candidato propagando a violência, o preconceito e a intolerância.
E o pior e mais triste.
Tem seguidores!!!

Última Edição