‘DE VOLTA AO PASSADO’

Publicado em 15/12/2018 00:12

Quase chegando o novo ano e falar de ‘volta ao passado’, parece impróprio, mas não é.
Estamos, na maioria das vezes, preocupados se devemos ‘viver do passado, viver o presente ou viver para o futuro’.
Quem pensa demasiadamente no futuro – se poupando, em todos os sentidos, não vive o presente, renuncia a muitas atividades, viagens, por exemplo, para quando ‘ficar mais velho’ ter onde ‘se escorar e não passar dificuldades …’.
Obviamente não é bom e não trás bem-estar ficar ‘remoendo o passado’, aliás, ele (passado) pode ser a ‘fonte’ de muitas depressões. É bom se desligar.
Ninguém pode fisicamente modificar o seu passado, mas pode modificá-lo psiquicamente e dar oportunidade ao arrependimento.
Assim não se estará sofrendo novamente como um masoquista, mas, ao contrário, ‘alterando o passado’ (reinterpretando-o), na vida presente, para melhorar, evoluir e se arrepender. Porque a matéria-prima do passado constitui um universo de conhecimento que você pode perfeitamente aplicar ao presente e acumular sabedoria, na velhice, no futuro.
É importante ‘voltar ao passado’ e consequentemente rever valores, ‘ídolos’ e crenças. Rever o passado é uma forma para um ‘novo futuro’.
O presente em nós deve ser a senha tanto para o passado, quanto para o futuro, para nos abrir a visão sobre o que passamos e o que queremos.
As poluições mentais do futuro são os ‘pres’, a exemplos, preocupação, prejulgamento e preconceito. Por isso, revivendo o passado, é preciso sonhar para o futuro. E sonhar com um mundo melhor em que estejamos inseridos e não com um ‘mundo melhor’ ‘inserido dentro de nós’ e somente para nós, egoisticamente!
A vida tem que ser vivida plenamente (passado, presente e futuro), para si, para os outros e para a sociedade.
Viver isoladamente é sofrimento.
(Quem viver verá!).

Última Edição