DICIONÁRIO À DIREITA

Publicado em 28/09/2019 00:09

Essa saiu na internet como nova ‘língua da direita brasileira’ e, importante notar, como as palavras têm o sentido e alcance de acordo com o intérprete.
Hoje, tristemente, vemos e ouvimos pessoas ‘falando de política e que antes não falavam’ e que, agora, espalham ignorância pelo Brasil.
O exemplo é o ‘Dicionário’ abaixo, cheio de preconceitos e desinformação.
ESTUDANTE – Jovem maconheiro facilmente influenciável por ideias de esquerda.
PROFESSOR – Doutrinador comunista que promove greves e surubas em horário de trabalho.
CIDADÃO DE BEM – Homem branco hétero e de classe média que defende o porte de armas e a sonegação de impostos.
CIENTISTA – Pessoa que recebe dinheiro público para promover pesquisas sem importância que não geram retorno financeiro.
EMPRESÁRIO – Único profissional responsável pelo desenvolvimento do país, apesar de massacrado pelos impostos do Estado e tolhido pelos direitos trabalhistas.
POBRE – Pessoa que não se esforçou bastante, vagabundo, procrastinador.
GAY – Pederasta depravado, bicha louca, pedófilo, indivíduo pervertido que ainda não aceitou Jesus.
INDÍGENA – Pessoa que ocupa grandes porções de terra sem pagar imposto, sem trabalhar e sem gerar receita ao Estado. Diz-se também do brasileiro que se aproveita de sua aparência física para requisitar o direito a territórios que por direito, deveria pertencer ao agronegócio.
MOVIMENTO NEGRO – Organização formada por pessoas – de cor – ressentidas que se dedicam a promover o racismo reverso na sociedade, grupo de pessoas (de cor) que não se coloca em seu devido lugar.
NORDESTINO – Brasileiro nascido ou residente na região nordeste do país dotado de pouca inteligência, bem como de pouca inclinação ao trabalho. Não obstante apresenta tendências esquerdistas na política.
DIREITOS HUMANOS – Organização de esquerda criada para defender criminosos e vagabundos de toda a sorte.
ARTISTA – Indivíduo que se dedica à vadiagem usando a arte como justificativa para sua condição de sanguessuga do dinheiro público.
E vou parando por aqui, porquanto exponho o tal ‘Dicionário’, para revelar hoje a falta de conhecimento que permeia a mídia e para reflexão dos leitores. Triste tempo o nosso!

Última Edição