O GRANDE SALTO

Publicado em 3/11/2018 00:11

O Estado, quer a União, quer os estados-membros, quer os municípios não podem assumir o ‘monopólio do poder’.
Os poderes constituídos não podem ‘controlar a opinião da sociedade’.
Hoje, em lugar da ‘sala de discussões’, tem-se a política dominada por ‘redes sociais’, por ‘televisões’.
Os ‘jornais’ e ‘revistas’ pertencem a oligopólios.
Os ‘partidos’ e ‘sindicatos’ são dirigidos por oligarquias.
O que se sente é que as classes dirigentes, ávidas do poder, manipulam, com facilidade, a opinião pública.
O grande salto da humanidade será quando deixarmos de ser apenas ‘objeto’ e pularmos para participantes ativos e protagonistas da história.
Isso só será possível através de um professor, de discussões nas salas de aulas, de horas de estudos e de autoconhecimento, para que cada um descubra o seu potencial, o seu talento, e só assim descobrindo o seu valor é que se passará da condição de ‘objeto’ para ser respeitado na sociedade como sujeito de direitos e obrigações.
O grande salto da humanidade então será quando o ‘objeto’ de trabalho passar a ocupar um lugar de requinte, sob forte foco de luz.
Gente é para brilhar e não ‘pra’ ser coadjuvante na história e no espetáculo da vida.

Última Edição