De Olho na Câmara – Edição de 02/09/17

Publicado em 2/09/2017 00:09

O maior problema de uma administração pública está na politicagem dos velhos caciques.
Tudo indica mesmo que alguns políticos insistem em adotar o cinismo e a demagogia como seus instrumentos de trabalho, usando de sua influência para ditar as regras do jogo.
A população não percebe, mas esse joguete de bate-boca entre os políticos para aprovar ou rejeitar os projetos é pura encenação, até porque todos os projetos são minuciosamente discutidos e aprovados antes de irem para as sessões.
Os políticos da situação, no entanto, deveriam trabalhar para dar sustentação e aprovar os projetos encaminhados pelo Executivo. São raros os projetos do Executivo que são rejeitados.
Por outro lado temos os parlamentares da oposição, que praticamente fazem o papel do ‘Seca Pimenteira’, apontando as falhas do Executivo. Para eles, quanto pior, melhor, e quase nunca conseguem aprovar requerimentos para fiscalizar o Executivo.
É sempre importante lembrar que os políticos são eleitos para atender exclusivamente a população mais necessitada, porém, muitos têm compromisso com seus financiadores de campanha.
Ao que parece, esses indivíduos que financiam as campanhas não fazem por amor a democracia, visão serem reconhecidos com moções de aplausos, nomes em rodovias, prédios e outras falsas e injustas homenagens.
Um político que nunca construiu uma sala de aula está atualmente tendo seu nome cogitado para ter a maior honraria na área da Educação no município de Santa Fé do Sul, e o problema se torna muito maior quando há interesses de cacique para escolher o nome de homenageado.
Será que os santafessulenses vão aceitar calados essas interferências na política do município? Os vereadores de Ilha Solteira já mostraram, através de uma Moção de Repúdio, por unanimidade, que não vão mais aceitar a interferência de políticos na história do município.
A questão é que já passou da hora dessa turma de bigode grosso ser banida da política.

Última Edição