De Olho na Câmara – Edição de 13/05/17.

Publicado em 13/05/2017 00:05

O destaque da 7ª sessão ordinária do ano da Câmara Municipal de Santa Fé do Sul, realizada na última terça-feira, 9, foi, ao que consta, o Projeto de Lei que autoriza o Poder Executivo Municipal a efetuar o repasse de recursos financeiros como subvenção social a Apae – Associação de Pais e Amigos Excepcionais –. O valor está estimado em até R$94.695.04.
Já o destaque negativo ficou para os parlamentares da oposição que colocaram em dúvida a capacidade técnica dos funcionários públicos municipais das Secretaria de Planejamento e Administração.
Essa falta de respeito por parte da oposição, que já está parecendo birra de moleque que não recebeu o doce na hora do café, foi gerada por um possível atraso na entrega do Projeto de Lei Complementar nº09/2017. O projeto foi aprovado por seis votos favoráveis, e três contrários.
No uso da palavra, a oposição alegou que não recebeu o referido projeto no prazo determinado e, por esse motivo, iriam votar contra.
O presidente da Câmara, Marcelo Favaleça, desmentiu a oposição e disse que o projeto foi entregue dentro do prazo e afirmou que não tem culpa se a oposição não leu os projetos que seriam votados.
Após essas trocas de farpas, a turma do ‘deixa disso e para com isso’ entrou em ação. O vereador Rento Ferraz explicou que esse projeto não iria gerar ônus para o Executivo, tendo em vista que esse projeto só iria legalizar situações de funções já ocupadas, não havendo motivos para a oposição votar contra.
Mais uma vez, volto a falar que tem vereadores torcendo e fazendo de tudo para o Executivo não conseguir realizar o seu trabalho; estão usando a tribuna para fazer baixaria e querendo ser o futuro bigode grosso em Santa Fé do Sul.

Última Edição

primeira

primeira