O Cagonauta

Publicado em 3/06/2017 00:06

Numa de minhas palestras, almocei com o diretor da empresa, o Pereira. Ficou o tempo todo me contando das dificuldades em conseguir que seus funcionários fossem mais eficientes. Reclamava que a turma não tinha senso de urgência nem de propriedade; que tinha de ficar o tempo todo em cima para que as coisas acontecessem; que o pessoal só trazia problemas; que seus gerentes eram medrosos; que estava a ponto de mandar a maioria embora e procurar gente mais competente.
Como eu conhecia a figura de longa data, não precisei pensar muito para encontrar o problema. O Pereira dirigia o negócio com mão de ferro, quando entrava na sala as pessoas se encolhiam. Ninguém queria ser a vítima do dia, desmontada ao cometer um erro ou emitir uma palavra mal colocada.
A única coisa que todos seus funcionários tinham em comum era…Medo. Medo do Pereira.
O Pereira era um cagonauta.
Cagonautas são os sujeitos que passam a vida rodeados de cagões. E os bons cagonautas, que nunca enxergam seu papel na produção de cagões, cumprem pelo menos quatro regras básicas para a criação de cagões:
humilham os subordinados;
punem quem traz más notícias;
castigam quem falha na primeira tentativa;
não dão espaço para a comunicação franca.
Cada vez que o Pereira humilhava um funcionário, criava um cagão. E quando o fazia na frente dos outros 50 funcionários, criava 51 cagões. Ninguém queria ser o próximo a ser esculhambado, portanto o melhor é não se expor, ficar quieto no seu canto, escondido. Quando alguém cometia um engano, era trucidado pelo cagonauta e deixava de ter iniciativa própria. Ninguém queria correr riscos.
– Mas como é que ninguém me falou disso antes?
Urrava o cagonauta. E quem é que seria besta de levar a má notícia ao Pereira? Melhor deixar o tempo passar… E o problema ia crescendo, crescendo… Quando chegava ao conhecimento do cagonauta, era tarde demais, já estava fora de controle, não dava pra corrigir.
O processo de comunicação, então, era totalmente truncado. Ninguém se dirigia ao Pereira de forma aberta, transparente. Tinham medo das conseqüências…
– Bando de incompetentes!
Pois o Pereira não é o único, não. Canso de encontrar cagonautas por aí, e nenhum deles percebe que aquele monte de cagões incompetentes que o circundam, são crias suas!!
Se o seu chefe é um cagonauta, tome cuidado.
Ele está te treinando para ser um…Cagão!

Última Edição