Com datas de provas de Enem e outros vestibulares, estudantes reforçam seus estudos nesta reta final

Publicado em 16/10/2021 00:10

Por Bárbara Scholl

A prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) está prevista para acontecer nos dias 21 e 28 de novembro e os estudantes puderam escolher, no ato da inscrição, se gostariam de fazer a prova de forma on-line ou presencial. Também já estão marcadas as provas de vários vestibulares e, mesmo em um ano pandêmico e com diversas dificuldades, os estudantes continuam estudando para essa maratona de provas.
O período dos vestibulares é um dos mais difíceis para os estudantes e, com a pandemia, eles precisam se preparar ainda mais, pois muitos, no ano passado, não conseguiram ingressar na faculdade dos “sonhos”.
O estudante de Santa Fé Vinicius Leonardo Silva Esteves, de 18 anos, está se preparando para o Enem e demais vestibulares, fazendo o cursinho Diferencial, fornecido pela Unesp de Ilha Solteira, no horário noturno, de forma on-line, pois provavelmente suas aulas presenciais só retornarão no ano que vem.
Em entrevista a O Jornal, Vinícius disse que essa rotina de estudos, de se preparar para o Enem e demais vestibulares, tem sido difícil e cansativa. “A pandemia prejudicou muito meus estudos e o meu psicológico”.
Ele tem duas opções de curso que pretende fazer, sendo a primeira opção Artes Visuais e a segunda, Moda. Os vestibulares que pretende prestar são na Universidade Estadual Paulista (Unesp), Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e o Enem. A faculdade que ele pretende entrar é na Unesp, caso não dê certo, ele pretende entrar na USP.
Segundo o estudante, ele tem estudado no período da tarde, com o material que os professores fornecem. “Faço atividades e leio. Já no horário da noite tenho as aulas do cursinho que acabam às 23h. Então estudo por volta de 7 horas. Quando tenho tempo livre, tento ver filmes e séries que consigo citar em alguma redação quando preciso fazer, e também leio livros históricos”.
As principais dificuldades de Vinícius nesta maratona de estudo é a procrastinação, pois, por ele estar fazendo aulas on-line, ele acaba se distraindo muito facilmente, além de ter ansiedade por conta dos vestibulares.
Ele acredita que não seja o único estudante que vem tendo dificuldade neste momento. “Creio que a maioria dos estudantes brasileiros está tendo problemas em se acostumar a essa nova rotina, já que sempre tivemos aulas presenciais. Alguns têm certos privilégios de terem um celular, computador e Wi-Fi para estudar, mas não são todos, e isso aumenta a dificuldade”.
Segundo o estudante, a pandemia definitivamente atrapalha seus estudos na hora de tirar dúvidas com os professores. “Como estamos tendo aulas por EAD, a comunicação fica mais escassa, prejudicando muito a dinâmica de ensino dos professores”.
Para Vinícius, a educação brasileira sempre foi negligenciada, e atualmente está sendo mais do que nunca. “O Ministério da Educação só está tomando decisões confusas e quem se prejudica é o estudante. Agora, neste período de praticamente dois anos de pandemia, muitos alunos foram afetados, tanto na questão da saúde mental, quanto no quesito de acesso a informações e atrasando a maioria dos conteúdos”, finalizou.

Última Edição