O adeus à querida professora Zélia

Publicado em 20/06/2020 09:06

Faleceu, no início da tarde de quarta-feira passada (10), aos 84 anos, a professora Zélia Therezinha Monteiro Capassi em decorrência de complicações da colocação de uma prótese total de quadril.
Em fevereiro deste ano Zélia caiu e quebrou a perna, tendo então passado por quatro cirurgias para a colocação da prótese, sendo que a primeira foi para a retirada de uma haste que já tinha por ter quebrado aquela mesma perna.
No final de março, Zélia colocou a primeira prótese de quadril na Santa Casa de Misericórdia de São José do Rio Preto, pelo médico ortopedista José Maria Bedran, da Clínica Dória.
Passados 30 dias, a cirurgia teve que ser refeita, com a colocação de uma segunda prótese por rejeição e infecção pelo organismo da professora.
Com a rejeição, a prótese ficou infeccionada, e foi necessário tomar fortíssimos antibióticos, o que paralisou os seus rins, motivo pelo qual, no último dia 29 de abril ela retornou à Santa Casa de Misericórdia de São José do Rio Preto.
Lá, voltou a ser internada e foi submetida a diversas hemodiálises, onde ficou internada por 42 dias.
Em sua última internação, além da complicação renal, a segunda prótese de quadril também foi rejeitada pelo organismo de Zélia, sendo necessária a quarta e última cirurgia para a troca e recolocação de prótese.
Por já ter sido fumante por quase 50 anos, também teve complicações por Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), agravando ainda mais seu quadro, sendo o motivo determinante para o seu falecimento.
Zélia era professora de Educação Física, muito conhecida na cidade e região, por ter sido professora primária estadual, tendo dado aulas por mais de 25 anos na Escola Estadual “Professor Itael de Mattos” e 28 anos no Unifunec, onde era professora de Ginástica Rítmica.
Deixa enlutados o marido Rodolfo Capassi, mais conhecido como Tatá, atleta profissional de futebol, e sua filha, a advogada Sarah Monteiro Capassi, profissional em Santa Fé do Sul e na Comarca.
Querida por todos que a conheciam, além de muita sabedoria, era uma pessoa sempre alegre, ativa, extrovertida e muito prestativa. Deixa, sim, um enorme vazio, haja vista ser uma perda irreparável para todos os amigos, colegas de trabalho e milhares de alunos.

Última Edição