Por Zeca Duran – No silêncio da alma

Publicado em 28/03/2020 00:03

É no silêncio da alma…Que nasce toda poesia
Brota por sentidos inertes…Que só em estado de amor, a alma conclama
E flui gritando palavras escritas
Ecoando pelo corpo, roupas sentidas…Num envolver tórpido insolente
Só quem ama pressente…No conjurar das emoções sensíveis
Fazendo orações ao Pai inaudíveis, os versos de um amor em oração
E o corpo chora…A alma implora
O coração grita…O pulsar da vida, que o amor ressucita.
Na mínima reciprocidade…A luz Alexandria ao peito invade
Iluminando estrelas ao universo…Num movimento inverso de luz
E tal como na árvore seca a vida renasce…Nuvens corroboram a visão surreal
trazendo dos céus as folhas nuas, ecoando na Terra a solução do impossível.
E parte a mensagem Daquele que ouviu teu grito em silêncio
atendendo teu mais íntimo segredo, exaurindo toda solidão.
Duvide até da verdade, mas não duvide do meu amor.

Última Edição