Presidente da Câmara Municipal fala sobre as ações da ‘Câmara Itinerante’

Publicado em 26/05/2018 00:05

Por Bárbara Scholl

No dia 2 de março do ano passado, a Câmara Municipal de Santa Fé do Sul aprovou por unanimidade o projeto “Câmara Itinerante”, idealizado pelos vereadores Marcelo Favaleça, Renato Ferraz, José Emídio Calazans, Leandro Magoga, Ronaldo Lima e Aniceto Facione.
Em entrevista a O Jornal, o presidente da Câmara Municipal, Marcelo Favaleça, explicou que a finalidade da “Câmara Itinerante” é levar o serviço Legislativo até o cidadão, promovendo o contato direto do vereador com a população, integrando o Poder Legislativo e a população de cada bairro, abrindo assim uma perspectiva de trabalho conjunto a partir de discussão comum dos problemas que envolvem os bairros, buscando soluções para os problemas apontados.
De acordo com Marcelo Favaleça, antes de iniciar as sessões da “Câmara Itinerante”, os vereadores conversaram com o prefeito Ademir Maschio para que ele ou alguém do Poder Executivo estivesse presente nas sessões. “Ademir falou que iria mandar alguém, mas durante as três sessões então realizadas, ninguém do Poder executivo se fez presente, somente os nove vereadores e, evidentemente, os moradores dos bairros”, falou.
No dia 6 de abril do ano passado ocorreu a primeira sessão da “Câmara Itinerante”, realizada no bairro Jardim Morumbi, na Escola Municipal “Rosimares Camargo Benitez”, quando estiveram presentes todos os vereadores da Câmara Municipal e cerca de 10 moradores. Esses moradores solicitaram aos vereadores obras de melhoria na viela que fica entre o piscinão e a Escola Municipal “Rosimares Camargo Benitez”; a limpeza do piscinão; limpeza das ruas, bem como poda das árvores; além das instalações de dois bebedouros de água, um na praça do bairro e o outro no campo de bocha; implantação de redutores de velocidade, que são os “quebra-molas”, na Rua Brasil, que é continuação da rua 19, e na Rua Venezuela na altura do número 222; alargamento do redutor de velocidade na Rua Perimetral Leste defronte à Escola Municipal “Rosimares Camargo Benitez”; extensão de itinerário do ônibus circular pelo bairro; e sinalização de mão dupla na Rua Perimetral Leste.
Dessas reivindicações feitas pelos moradores aos vereadores, eles conseguiram até o momento que o Governo Municipal fizesse as obras de melhoria na viela que fica entre o piscinão e a Escola Municipal “Rosimares Camargo Benitez”; a limpeza do piscinão; instalações dos bebedouros de água na praça e no campo de bocha; ampliação do redutor de velocidade na Rua Perimetral Leste, defronte à Escola Municipal “Rosimares Camargo Benitez” e a extensão de itinerário do ônibus circular pelo bairro.
“Conseguimos resolver boa parte do que foi pedido pelos moradores do bairro Jardim Morumbi”, comentou Favaleça.
No dia 6 de julho do ano passado foi realizada a segunda sessão da “Câmara Itinerante”, na Cohab Bartolo Rossafa, no Centro de Convivência, onde estiveram presentes cerca de 20 moradores, ocasião em que solicitaram aos vereadores o reforço de policiamento militar no bairro; melhorias na região adjacente ao Centro de Convivência; realizar a revitalização da praça do bairro, bem como a troca do forro e pintura do Coreto; realizar revisão geral da iluminação pública de todas as ruas daquele bairro, bem como a ampliação da iluminação da Avenida Idalino Longhi, na confluência com a Rua das Margaridas; remoção dos veículos velhos estacionados nas ruas do bairro; dentre outras indicações.
Das indicações feitas pelos moradores aos vereadores, eles conseguiram realizar até o momento o reforço de policiamento militar no bairro; a remoção dos veículos velhos estacionados nas vias; melhorias na região adjacente ao Centro de Convivência; trocas de lâmpadas de alguns postes; dentre outras indicações menores.
“As reivindicações feitas pelos moradores da Cohab Bartolo Rossafa foram muitas, e nós não conseguimos resolver nem um terço do que eles pediram. Conseguimos resolver apenas pedidos menores”, explicou Marcelo.
Para finalizar as sessões da “Câmara Itinerante” nos bairros, no ano passado, foi realizada no dia 31 de julho a sessão no Bairro Santa Cruz, na sala de catequese, quando estiveram presentes apenas três moradores do bairro, que solicitaram aos vereadores o reforço de policiamento militar; construção de um centro de convivência; academia ao ar livre na praça, bem como melhoria na iluminação e posto policial; instalação de ferros entre os vãos das grades do Coreto da praça; construir quebra-molas na Rua São Luiz próximo ao cruzamento da Rua João Batista Guimarães, e a repintura do redutor de velocidade localizado na Avenida Conselheiro Antônio Prado, na saída para Três Fronteiras.
Até o momento, das indicações solicitadas pelos moradores do bairro Santa Cruz o que os vereadores conseguiram atender foram o reforço de policiamento militar no bairro e a repintura do redutor de velocidade localizado na Avenida Conselheiro Antônio Prado, na saída para Três Fronteiras.
“No bairro Santa Cruz, os moradores relataram que não tinham muito o que solicitar, mas pediram algumas melhorias, e a Prefeitura atendeu uma, que foi a repintura do redutor de velocidade da Avenida Conselheiro Antônio Prado, na saída para Três Fronteiras, que ocorreu no começo deste ano”, explicou Favaleça.
Marcelo relatou que todas as solicitações feitas pelos moradores nas sessões da “Câmara Itinerante” são transformadas em indicações, passam pela Câmara Municipal e são encaminhadas ao Pode Executivo. Portanto, cabe ao prefeito atender a esses pedidos. Os vereadores apenas cobram o prefeito.
“Em todas as sessões nós cobramos o prefeito para que ele atenda as solicitações, principalmente as fácies, que não geram altos custos para a Prefeitura”, comentou Favaleça.
Segundo Marcelo, se não houver uma parceria entre vereadores e o Poder Executivo, não há como as solicitações feitas pelos moradores serem atendidas.
Conforme ele, as sessões da “Câmara Itinerante” serão retomadas em breve, ainda neste semestre, com continuidade ao longo do ano. “Nós pedimos para que a população compareça nessas reuniões, pois muitas vezes eles cobram e reclamam de nós vereadores nas redes sociais e nas ruas, mas vemos que poucos participam dessas reuniões”, finalizou Marcelo Faveleça.

Última Edição