Tópicos da Semana – Edição de 24/03/18

Publicado em 24/03/2018 00:03

Por Mário Aurélio Sampaio e Silva.
Charge: Leandro Gusson (Tatto).

Deixa a pasta

No início da tarde da última quarta-feira, dia 21, a secretária Municipal de Planejamento, Desenvolvimento Econômico e Aquicultura, Marilsa Patrício Fernandes, entregou seu pedido de exoneração do cargo ao prefeito de Santa Fé do Sul, Ademir Maschio. Consta que um dos principais motivos teria sido a declaração do vice-prefeito Alcir Zaina, para o programa “Bastidores da Notícia”, da Rádio Santa Fé, quando afirmou não concordar com a iniciativa de um membro da família de Marilsa em registrar a marca Aquishow em nome de uma empresa particular, e mais, afirmou “que se sou o prefeito, se sou o dono da caneta, minha posição estava definida, exonerava ela como secretária, porque entendo que isso foi uma ‘trairagem’”.
A história

Partidarismos a parte, vale lembrar que o nome Aquishow foi dado em 2008 pela ex-secretária, ocasião em que o evento foi criado justamente para oferecer palestras técnicas voltadas para o setor da Piscicultura. No ano passado, ficou sob a responsabilidade da Peixe SP, associação que representa os piscicultores do Estado de São Paulo, que aliás é fundada por Marilsa Fernandes e Emerson Esteves, da Aquicultura Peixe Vivo.
A história II

Antes, porém, durante a edição de terça feira, dia 20, do Programa Jornalístico Dinâmica News , da Rádio Dinâmica, Marilsa explicou os motivos do registro, que é o de justamente não deixar que a marca ficasse em ‘mãos erradas’, ou melhor, com pessoas que não tenham ligação com o setor aquícola. Ainda sobre o registro e patente, explicou que fora a criadora do evento, do nome, do formato e, sempre, em todas as edições, trabalhou muito e que a cidade e a atividade na região foram extremamente beneficiadas com sua criação.
A patente

Ainda sobre o registro da marca “Aquishow”, Marilsa Fernandes comentou que tendo em vista o crescimento do evento, que assumiu grandes proporções no ano passado, entendeu que a marca estaria à mercê de, por ventura, algum ‘aventureiro’ se apossar do nome. Na ocasião, foi informada que uma pessoa estaria interessada em registrar a marca, e ela, por precaução, tomou a decisão do referido registro. “Foi registrado em nome de pessoa jurídica, que inclusive desde que recebeu na semana passada o protocolo com informação do INPI, o detentor do CNPJ, em cujo nome foi solicitado o registro, já assinou o termo de doação para a Prefeitura/PeixeSP, termo esse que será renovado ano a ano, tendo em vista que a dinâmica das situações e das representações pode fazer com que as prioridades mudem, assim como aconteceu com a Prefeitura, que organizou os dois primeiros anos do evento, em 2009 e 2010, e, por algum motivo, achou por bem não mais realizá-lo”, disse. Cabe lembrar que a Aquishow voltou a ser feita então em 2012, tendo como principal patrocinadora pública a Cati – Coordenadoria de Assistência Técnica Integral –.
Eu hein, Rosa

Marilsa chegou a ser questionada pelo jornalista Ilson Colombo, da Rádio Dinâmica, sobre o porquê da cessão do uso da marca não ser dado por um maior prazo, e não anualmente, e sobre isso ela afirmou que a renovaria enquanto estivesse vigente o mandato do atual prefeito, até porque, segundo ela, não se sabe “em que mãos ficariam”, no futuro, o referido projeto.
Não, migalhas…

No final da tarde de quarta-feira, dia 21, o presidente da PeixeSP, Emerson Esteves, afirmou que nada afetará a organização da Aquishow/Brasil 2018, e que a saída de Marilsa do Governo Municipal teve seu apoio. Segundo ele, Marilsa é detentora de capacidade e competência para prestar serviços em qualquer setor empresarial, e que também oficiou ao prefeito que não será necessário a destinação de recursos públicos no evento, e que também cancelasse o edital de licitação para a contratação de empresa de montagem e desmontagem de tendas para o evento, cuja previsão orçamentária é de R$50 mil, e apenas solicitou o espaço do Complexo Turístico e Cultural e Histórico “Deputado Roberto Rollemberg” para sediar a edição 2018 da Aquishow.
Lamento

Emerson também lamentou o que chama de “tempestade em copo d’água” em torno do assunto do registro da marca Aquishow, e criticou a declaração do vice-prefeito Alcir Zaina. “Nada muda na realização do evento, porque a PeixeSP tem a credibilidade junto ao setor para continuar realizando o encontro em Santa Fé do Sul, e, desta forma, agradece imensamente a parceria e respaldo que continua tendo do prefeito Ademir Maschio.
Ai, que dor

O fato é que o surgimento de Ademir Maschio no cenário político santafessulense dá a certeza de que a renovação dos quadros políticos, com uma nova visão de gestão pública, já demonstrada durante seu período como presidente do hoje Unifunec, não só tem incomodado as lideranças, como seu estilo de governar, e agora, após o tal episódio, o do desligamento de Marilsa Fernandes, deverá passar por muitas mudanças significativas, e doa a quem doer.
Xô, sai pra lá

Sabe-se que o prefeito não está passando pelos seus melhores dias, embora tenha traquejo suficiente para lidar com todos esses problemas, embora muitos cheguem a pensar que o mesmo esteja vivendo seu primeiro inferno astral político. O mar não está pra peixe, e a Aquishow passa por uma leve turbulência. O evento, que acontecerá entre os dias 15 e 18 de maio, há de mostrar que a questão da patente ou registro era uma mera quimera.

Última Edição