Tópicos da Semana – Edição de sábado – 24/11/18

Publicado em 24/11/2018 00:11

Por Lelo Sampaio.

Charge: Leandro Gusson. (Tatto)

Empreendedorismo

Visão empreendedora tiveram os vereadores José Emídio Calazans e Marcelo Favaleça. Na última sessão camarária, realizada na terça-feira da semana passada, dia 13, uma lei de autoria dos nobres edis foi aprovada, e sancionada pelo prefeito Ademir Maschio, e não deveria ser diferente, pois autoriza o funcionamento dos Food Trucks, valendo lembrar que na Lei Orgânica do Município e nas tratativas comerciais até então não existia a “figura” do Food Truck, muito pelo contrário, há uma proibição de ambulantes e carrinhos, como os de cachorro quente, churros e, desta forma, só podiam operar os microempresários que tivessem o alvará de funcionamento expedido anteriormente. A lei proibindo esse tipo de comércio foi sancionada no governo de Itamar Borges.
Era empecilho

Santa Fé estava, pela lei, impedida de autorizar esse tipo de empreendimento, só valendo para estabelecimentos fixos. E eis que surge o boom dos Food Trucks no Brasil. Em São Paulo, em 2012 começam a surgir as grandes feiras e parques de Food Trucks; em Rio Preto também, o parque de Food Trucks, com diversos tipos de comida gourmet, diferenciada e que atrai turistas.
E mais

A lei anterior também não permitia que proprietários de Food Trucks operassem, mesmo que temporariamente, em Santa Fé. Desta feita, só vinham os Food Trucks em eventos esporádicos realizados pelo Governo Municipal, lembrando que naquelas ocasiões tinha como autorizar uma praça de alimentação com Food Trucks, como na Ficcap, nas duas edições do “Books and Foods”, Aquishow, dentre outros.
Definição

Talvez a tradução mais aproximada para o português da expressão “Food Truck” seja carro ou carrinho ambulante que prepara e vende, em sua pequena cozinha, comidas aos transeuntes. O fato é que os Food Trucks se tornaram um meio interessante de levar boa comida ao consumidor com um custo operacional mais baixo. Um modelo de negócio que leva gastronomia de qualidade a um preço mais acessível e também dá mobilidade a produtos que antes não teriam vazão ou mercado se ficassem restritos a um único endereço.
Surgimento

Virou moda a partir de 2013 no Brasil, principalmente em São Paulo, mas o modelo como conhecemos hoje veio dos EUA a partir de 2008. A ideia de comida sob rodas, porém, não surgiu ali. Em 1800 já havia nos EUA carroças vendendo tortas e sanduíches baratos para trabalhadores dos subúrbios e áreas mais pobres. Após a segunda guerra mundial a comida de rua ganhou mais força com caminhões de alumínio brilhante que vendiam refeições em lugares onde os restaurantes eram escassos. Naquela época, os Food Trucks eram sinônimo de comida barata, sem muita preocupação com a qualidade. E foi mais ou menos assim durante todo o século 20.
Boa ideia

Até que veio a crise de 2008, que derrubou a economia americana e levou junto muitos restaurantes tradicionais. Quando os EUA começaram a se recuperar, alguns empreendedores tiveram a ideia de levar comida de qualidade para a rua, investindo pouco. Outra vantagem dos carrinhos e trailers era a possibilidade de mudar de lugar de acordo com a demanda da população.
No Brasil

Foi assim que encontraram a solução. Essa coisa meio amadora dos carrinhos de comida foi incorporada ao conceito e os donos de Food Truck resolveram incrementar o cardápio com itens gourmet, ou seja, de qualidade. Desta feita a moda chegou ao Brasil, ou seja, os trailers customizados já fazem parte do roteiro turístico das grandes cidades brasileiras e da paisagem urbana, e muito provavelmente já será realidade em Santa Fé do Sul.

Última Edição