Tópicos da Semana – Edição de 16/12/17

Publicado em 16/12/2017 00:12

Por Mário Aurélio Sampaio e Silva.
Charge: Leandro Gusson (Tatto).

O mundo às avessas

Em um momento em que nos encontramos imbuídos pelo clima natalino, quando nos sentimos mais amáveis e sensíveis ao coletivo, por ocasião do Natal, quando tudo parece ser belo, nos deparamos com situações que nos fazem refletir a respeito da mente humana, de onde estamos chegando, com a falta de princípios, de total falta de amor ao próximo. Eis que na madrugada da última segunda-feira, dia 11, uma empregada doméstica, de 49 anos, foi morta por falar alto demais dentro de um ônibus, em Belo Horizonte. Ela foi atingida com golpes de canivete por outra passageira que estava no veículo.
Parece mentirinha

Testemunhas relataram que a vítima Valdete Lopes Queiroz teria embarcado no ônibus da linha 61, na região de Venda Nova, às 4:30 horas, e passou a viagem até o Centro conversando. Uma mulher teria ficado incomodada e, antes de descer do coletivo, perfurou Valdete com um canivete, isso mesmo, uma mulher portando uma arma branca em pleno coletivo.
Falou e morreu

O motorista não percebeu o crime e seguiu viagem. Ele foi alertado pelos passageiros que a doméstica estava ferida e imediatamente parou o veículo. A vítima, que morava na Grande BH, foi levada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Quase todos os dias ela pegava o mesmo ônibus, de madrugada, para chegar cedo ao trabalho.
Rufianato

Dá para imaginar que uma mãe pudesse permitir que suas filhas fossem abusadas sexualmente pelo tio dela? Pois é, o fato ocorreu em Montes Claros. A belezura da senhora, de 31 anos, foi presa nesta semana suspeita de envolvimento em abusos sexuais das filhas naquela cidade que fica no Norte de Minas. Segundo a Polícia Civil, ela recebia R$ 50,00 para permitir que o tio dela abusasse das meninas, de 12 e 13 anos. O autor, de 60 anos, foi preso, claro.
Era o tio-avô

Os abusos, segundo a polícia, eram cometidos desde o ano de 2015 na zona rural da cidade, mas se agravou no início deste ano após a menina mais velha engravidar do tio-avô; o bebê nasceu no dia 9 de novembro deste ano e, no mesmo dia, uma tia das vítimas procurou a Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher para denunciar os abusos.
Prestando serviços

A mãe das vítimas prestava serviços de limpeza para o autor, sempre aos finais de semana. Durante a realização destes serviços é que os abusos aconteciam. E, pelo que se apurou, ela recebia para permitir que as filhas mantivessem relação sexual com o tio. A vítima mais nova relatou aos investigadores que seu sonho era encontrar com algum policial para que pudesse denunciar os abusos, mas ela tinha receio de ser punida pela mãe.
Cana

O homem será indiciado por estupro de vulnerável e, se condenado, pode pegar de 8 a 15 anos de prisão relativo a cada uma das vítimas. A mulher será indiciada por coautoria de estupro de vulnerável, corrupção de menores e exploração sexual de menores. A soma das penas pelos crimes cometidos com cada uma das meninas pode ultrapassar 25 anos.
Salário mínimo

Na noite da última quarta-feira, dia 13, o Plenário do Congresso Nacional aprovou o projeto de Lei Orçamentária Anual de 2018. A proposta aprovada prevê um salário mínimo de R$ 965,00, valor quase 3% maior do que os atuais R$ 937,00. O texto agora segue para a sanção do presidente Michel Temer. O Orçamento também estima um crescimento de 2,5% da economia nacional em 2018 e prevê um rombo de R$ 157 bilhões nas contas do Governo Federal. O déficit previsto é um pouco menor do que os R$ 159 bilhões determinados pela LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias – como meta fiscal para 2018.
E no mundo?

No mundo, a respeito do salário mínimo, estamos em 59º lugar do ranking. Nos EUA, 36 dos 50 Estados estipulam o valor independentemente, desde que seja superior ao piso federal que é de R$ 3.665,00. Na Califórnia, por exemplo, pagam pelo menos R$ 5.310,00.
E mais

Na Argentina, paga-se R$ 1.790,00; na Espanha, R$ 3.026,00; Na França, R$ 5.453,00; na Irlanda, R$ 5.743,00; no Reino Unido, R$ 5.132,00; na Alemanha, R$ 5.506,00; na Austrália, R$ 6.851,00; na Suíça, R$ 7.051,00; e por aí vai.
Cesta básica

A análise da evolução do salário mínimo e da cesta básica mostra que, segundo estimativas do Dieese – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos –, o custo da cesta básica em relação ao salário mínimo vem caindo acentuadamente nos últimos anos, em valores relativos e em horas de trabalho necessárias para adquiri-la.
É o que temos

Pelos cálculos do Dieese, para suprir as necessidades básicas de uma família, o salário mínimo ideal deveria ser equivalente a aproximadamente R$ 4.000,00. Como se não bastasse, o tempo médio de trabalho necessário para o brasileiro que ganha salário mínimo poder comprar os produtos da cesta básica é de 97 horas. Representa pouco mais de duas semanas de “ralação”.

Última Edição