Tópicos da Semana – Edição de 19/05/18

Publicado em 19/05/2018 00:05

Por Mário Aurélio Sampaio e Silva.
Charge: Leandro Gusson (Tatto).

Palmas para a Aquishow
De 15 a 18, Santa Fé foi sede do maior evento sobre Aquicultura do país, a Aquishow 2018, que é realizada desde 2009. Este ano, com 2.700 inscritos, com a participação de 106 empresas ligadas a atividade, 500 expositores, com R$ 10 milhões de produtos comercializados e R$ 40 milhões em orçamentos efetuados, sem dúvida alguma a Feira se consolidou como o evento mais importante do setor, e todos os méritos são de seu presidente, Emerson Esteves, que também é presidente da Peixe SP – Associação dos Piscicultores em Águas Paulistas e da União -, e de Marilsa Fernandes, coordenadora do evento. Sem maiores demagogias, e muito menos grandes mi-mi-mis, depois de ter pedido sua exoneração do cargo como secretária Municipal de Planejamento, Desenvolvimento Econômico e Aquicultura, venhamos e convenhamos, e queiram alguns ou não, consta que por motivos meramente políticos, eis que ressurge esta mulher de garra, que sabe o que diz e entende do que faz. E mais, aprendeu tudo sobre o setor na ‘marra’, e hoje fala com muita propriedade, sendo também respeitada em nível nacional.

Mérito II
Em seu discurso, o deputado Estadual Itamar Borges fez reverências ao presidente da Aquishow, afirmando que falar da Feira sem falar de Emerson Esteves é como não dizer nada. “Veio para cá contratado pelo Sindicato Rural para começar um trabalho com os produtores rurais, com os tanques rede e com os tanques escavados”. Já naquela época demonstrava muita competência no que fazia; homem sério, inteligente, estudioso e com vontade de sempre aprender mais. E seu encontro com Marilsa só poderia dar bons resultados, e hoje temos o maior evento de Aquicultura do país.

Mas o que é?
Por sua natureza técnica, a Aquishow visa contribuir para a melhoria e ampliação da produção e comercialização do pescado, potencializar a capacidade regional e brasileira para a produção dos organismos aquáticos, bem como dar capacitação aos participantes do setor. Portanto, a cadeia produtiva do pescado tem como objetivo promover o encontro das melhores tecnologias, aperfeiçoamento do cultivo, discutir sobre o perfil do mercado comprador, aumentar a disponibilidade de serviços que possam incrementar a produção aquícola na região, colaborando com a geração de emprego e renda.
Com a palavra…
Antes, porém, dando início à Aquishow, Marilsa destacou tratar-se de um evento que promove o encontro de vários segmentos da cadeia produtiva através de seminários, mostras de produtos, compras de negócios e integração entre piscicultores, técnicos e fornecedores, além dos trabalhadores da Piscicultura, e a mesa foi composta pelo prefeito de Santa Fé do Sul, Ademir Maschio; pelo presidente da Peixe SP, Emerson Esteves; o secretário de Agricultura e Abastecimento, o médico veterinário Francisco Jardim; o deputado Federal Fausto Pinato, pelos deputados estaduais Itamar Borges e Carlão Pignatari; pelo presidente da Câmara Municipal de Santa Fé do Sul, Marcelo Favaleça; a coordenadora da Aquicultura e Pesca do Sebrae Nacional, Nilma Costa; o prefeito de São José do Rio Preto e ex-prefeito de Santa Fé, Edinho Araújo; pelo coordenador da Aquicultura da Faesp, Armando Prado Neto; o diretor do Instituro de Pesca do Estado de São Paulo, Luiz Ayroza; o ex-ministro da Pesca e Aquicultura, Altemir Gregolim; pelo presidente do Sindicado Rural de Santa Fé do Sul, Luiz Bermal; o presidente interino do Unifunec, Milton Carvalho; e o coordenador da Cati, João Brunelli Junior; e ex-superintendente do Saae, Armando Rossafa.
Apoios e parceiros
Em sua fala, o prefeito da Estância Turística de Santa Fé do Sul ressaltou que Santa Fé faz história com a Aquishow. Afirmou que há vinte anos o município acreditou na Piscicultura e hoje se tornou o maior produtor de tilápia em tanques rede do Brasil. Para o prefeito, os méritos têm que ser divididos com empresários, pequenos produtores, Sindicato Rural, Senar, Cati e a Prefeitura que sempre apoiaram as iniciativas do setor.
Pescado
O Secretário de Estado da Agricultura, Francisco Jardim, falou, em nome do Governador Marcio França, cumprimentando a sociedade de Santa Fé e seus organizadores pela estrutura da Feira que tem buscado soluções dos problemas para o desenvolvimento do setor aquícola. Disse que o Governo de São Paulo, através da Cati e do Instituto da Pesca, tem auxiliado oferecendo ferramentas e ações que possibilitem o avanço da piscicultura paulista, e ressaltou o grande crescimento do setor alcançado com o decreto que regularizou o licenciamento ambiental dos parques aquícolas e os incentivos fiscais para a indústria paulista do pescado.
Fausto Falato, ops, Pinato
O mínimo que se espera de um político, e principalmente de um parlamentar em nível nacional, como é o caso do deputado Federal Fausto Pinato, em ocasiões solenes como a da abertura da Aquishow, onde a língua portuguesa precisa e deve ser respeitada, é o uso de um linguajar apropriado, e que o português não seja tão massacrado com tantos erros e regionalismos. “Nóis ia, nóis foi, o pau cumeu, noís tem que agradá, a gente estamos e nóis conseguiu melhorar”. Inconcebível. Chegou a doer os ouvidos.
Acidez
Em seu discurso, digamos, azedo, o referido parlamentar fez questão de exaltar o trabalho do deputado Itamar e, ao se referir a enorme energia que possui, disse que “gente esse homem não para, está presente em tudo, o Itamar vai desde enterro de anão, a audiência com Presidente da República, é uma coisa incrível, eu não tenho condições de acompanhar o Itamar”. E continuou dizendo que embora o deputado Carlão Pignatari não ande tanto ele, é um grande articulador. Ao referir-se a Altemir Gregolin, soltou a pérola: é o nosso sempre ministro da Pesca, que fez uma grande revolução no Ministério da Pesca, que, mesmo sendo do PT, foi um artista”.
Dono das pérolas
Como se não bastasse, ao falar de Armando Prado Neto, que lá representava o presidente da Faesp, Fábio Meirelles, soltou que “o Armando Prado me liga todos os dias; acha que só há pesca e agricultura no mundo”.
Chegaaaaaa
Como se não bastasse, termina dizendo que “deputado muitas vezes engana, conta uma mentirinha, aí tem que ler dez vezes para entender. Não entendo de peixe, eu não entendia nada, comecei a aprender na marra, e nós ia lá e falava na Secretaria do Meio Ambiente, os cara falava uma história, eles vinha e falava que era diferente, nós foi, foi, foi, até que a gente fez uma acareação, o pau comeu, puxa pra cá, puxa pra lá, e eu queria dizer pra vocês, esse aperfeiçoamento do evento que dinamizou, as regras de licenciamento ambiental, esse decreto saiu dessa turma, saiu aqui de Santa Fé, saiu aqui dessa região, dessa turma, dos aquicultores desta região”. A essa altura, muitos da plateia já estavam indignados…
Basta!!!
Disse também não gostar muito de sindicatos e, para fechar com “chave de ouro”, afirmou que o evento cresceu tanto que, para ele, grande apreciador de peixes, o preço da tilápia está muito alto, mais caro que picanha. É a tal história, se, no jogo não faço o gol e a bola é minha, pego a bola, levo pra casa e acabo com a partida. Faltou tato, traquejo para um evento de tamanha magnitude. Parabéns aos organizadores!!!

Última Edição