Tópicos da Semana – Edição de 19/10/19

Publicado em 19/10/2019 00:10

Por Lelo Sampaio
Charge: Leandro Gusson (Tatto)

Muita pose
Foi-se o tempo em que os políticos, fossem eles prefeitos ou vereadores, ficavam em suas cidades esperando recursos estaduais ou federais “caírem do céu”. Praticamente não saíam da cidade. Hoje, há a necessidade, e como, de irem a São Paulo ou Brasília em busca de verbas para seus municípios. Entretanto, o que temos percebido ultimamente, agora com as redes sociais, é que alguns, basta irem à busca de recursos, e mesmo sem terem ainda os conseguido, já estão lá eles nas fotos e com lindos textos de pedidos feitos às autoridades da capital do estado ou do Brasil. Ressalta-se aqui que não são todos os políticos que usam desse artifício, mas que são muitos, isso não podemos negar.
Nada de concreto?

Oras, notícia de verdade e que realmente interessa à população não é aquela em que tal político foi a determinado gabinete pleitear emendas. Notícia é quando a verba é conquistada, quando algo é assinado, o resto é politicagem, até porque sabemos que muitos desses pedidos nem sequer são efetivamente atendidos. Como dizia meu saudoso pai: Cantam mesmo antes do ovo ser botado, ou ainda, quando conquistam, cantam como se o ovo fosse de uma pata, quando na verdade é somente de uma galinha. Importante lembrar que não estamos chamando absolutamente ninguém de galinha ou de pata, até porque estamos tratando de ditos populares.

Mais ação
Sabemos que após botar o ovo, sua primeira providência é abrir o bico e anunciar o seu produto. E com que intensidade este ato é feito, é só ir até o ninho e conferir. Acontece que temos observado muita cantoria para poucos ovos, ou até mesmo nenhum. Parece mesmo que alguns políticos têm muito que aprender com as galinhas.

Oba-oba
Este tipo de oba-oba deve se intensificar com as eleições municipais do ano que vem, voltando a ressaltar que não estamos tratando das conquistas, que são e serão sempre bem-vindas para qualquer município. O fato é que parece que alguns de nossos políticos parecem viver mais de redes sociais do que da vida real. O ano eleitoral está chegando, daí realmente, como num desespero de causa, muitos que estão no poder possivelmente farão o uso dele para conseguir a reeleição, e para isso já sabemos que vale tudo, ou quase tudo.

Aplicativos
Parece mesmo que os aplicativos para levarem passageiros de carro, e mais recentemente de motos, a determinados lugares, ao invés dos taxis, têm caído mesmo no gosto popular e agradado ao bolso da maioria das pessoas na cidade. Chamados de Uber, nome do primeiro aplicativo em São Paulo, são mais baratos que os taxis e, digam-se de passagem, mais práticos. Quem não está gostando nada desta nova tendência aqui no interior devem ser os taxistas e os moto taxistas.

Facilidades
As pessoas procuram além de uma viagem confortável, segurança. E por isso fazem questão de conhecer o perfil do motorista, e a opinião de outros usuários do app. A plataforma, dentre outras facilidades, usa a mesma lógica das passagens aéreas, ou seja, é possível saber o preço total antes mesmo de realizar a viagem. Ao solicitar o automóvel pelo app já é possível informar todos os pontos de parada onde vai buscar ou deixar cada amigo. É um ótimo recurso para ratear a viagem em partes justas para cada um. E caso precise mudar de roteiro, pode fazer isso mesmo em movimento. O próprio sistema fará o reajuste dos valores se necessário. Além do mais, o aplicativo facilita a chegada do motorista no endereço de onde iniciará a viagem, e melhor, mostra, em tempo real, onde o veículo se encontra e quanto tempo falta para chegar ao seu endereço.

Rindo a toa
E não é pra menos que muitos motoristas de aplicativos em Santa Fé do Sul estão rindo a toa, uma vez que para a grande maioria não falta serviço. Em noites de festas, como as realizadas eventualmente por promoter da cidade ou até mesmo as que já fazem parte do calendário turístico, o trabalho é contínuo e muitos deles passam a noite realizando “corridas”, haja vista ser uma boa opção principalmente para os jovens que ingerem bebidas alcoólicas e não querem passar por situações desagradáveis ao volante.

Festas
E por falar em festas, estamos próximos das festas de final do ano e, com o Sonho de Natal, a cidade recebe inúmeros turistas vindos das mais diversas localidades do país. O trânsito na cidade, principalmente à noite fica caótico, até porque alguns pontos da região central da cidade ficam impedidos. Uma boa medida seria dispor os guardas civis municipais em alguns cruzamentos de ruas e avenidas orientando pedestres e motoristas, isso para que possamos recebem melhor ainda quem nos visita.

E não pode faltar…
Todos os anos, parece que a situação se repete: grande parte dos bares e lanchonetes da cidade deixa de atender seus clientes porque falta o pão para o lanche, ou a água, a cerveja gelada e o refrigerante. Precisamos nos preparar melhor e entender de uma vez por todas que no final do ano, justamente por conta dos festejos, a clientela aumenta consideravelmente.

Última Edição