Tópicos da Semana – Edição de 20/05/17

Publicado em 20/05/2017 00:05

Por Mário Aurélio Sampaio e Silva.
Charge: Leandro Gusson (Tatto).

Charge 20-05Degringolo

O vazamento da delação premiada de Joesley Batista, dono da JBS, que teria gravado o presidente da República, Michel Temer, confirmando a compra de silêncio de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), levou a crise política brasileira a um novo patamar. Menos de nove meses depois da confirmação do impeachment de Dilma Rousseff, é real a possibilidade de um novo processo de impeachment ser aberto, desta vez contra Temer.

Forca

Pressão para tanto não faltará, até porque tão logo a bomba estourou, o deputado federal Alessandro Molon (Rede-RJ) protocolou na Câmara um pedido de impeachment de Temer, e o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, prometeu ir às ruas para pedir “Fora, Temer” e também “Diretas Já”. A Constituição prevê, entretanto, a realização de eleições indiretas caso Temer deixe o poder. Os procedimentos para esse processo ocorrer, entretanto, não são claros.

Terra em Transe

Um dos donos da maior empresa de proteína animal do mundo e campeão de doações eleitorais nas eleições de 2014, o empresário Joesley Batista, simplesmente implodiu o meio político na última quarta-feira, dia 18. Eis que o controlador do frigorífico JBS entregou ao Ministério Público Federal gravações nas quais registra pedidos de propina do presidente Michel Temer (PMDB), e do presidente nacional do PSDB, o senador Aécio Neves. Em ações controladas pela Polícia Federal, o repasse de dinheiro a emissários de Temer e Aécio foi filmado. As cédulas tiveram os números de série previamente registrados e estavam acomodadas em malas e mochilas equipadas com chips. Todo o caminho do dinheiro foi monitorado pelos investigadores. As informações foram reveladas pelo jornal O Globo.

O filme

O filme ‘Terra em Transe’, de Glauber Rocha, um dos maiores sucessos do cinema nacional, datado de maio de 1967, ou seja, há exatos 50 anos, trata de um senador chamado Porfírio Diaz, interpretado por Paulo Autran, que detesta seu povo e pretende tornar-se imperador de Eldorado, um país localizado na América do Sul. Porém existem diversos homens que querem este poder, que resolvem enfrentá-lo. Enquanto isso, o poeta e jornalista Paulo Martins, personagem de Jardel Filho, ao perceber as reais intenções de Diaz, muda de lado, abandonando seu antigo protetor.

E agora, José…ops, Michel?

Poucos brasileiros acreditavam, até o final da última quarta-feira, dia 17, na possibilidade do Presidente da República Michel Temer renunciar ou ter seu mandato caçado, até que….tchan tchan tchan tchan, surge a gravação de um diálogo deveras ‘constrangedor’, que o empresário Joesley Batista, um dos controladores da holding J&F, afirma ter tido com o peemedebista. Batista acusa Temer de endossar a compra do silêncio do ex-deputado federal Eduardo Cunha e do operador Lúcio Funaro, presos na operação Lava Jato. O presidente, evidentemente, nega as acusações. Este é o país onde ninguém vê nada!!!

Besta é tu!!!

Besta de quem acredita que esta é a primeira vez que o presidente é jogado para o meio da maior investigação contra a corrupção no país. Mas, agora, o teor do depoimento e as provas a ele atreladas colocam em risco a sua permanência no cargo. Agora, se confirmado o conteúdo da conversa com o empresário, não haverá condições para a permanência do presidente no cargo. Segundo o jornal “O Globo”, Joesley informou aos investigadores que, nessa conversa, ele e Temer discutiram a compra do silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso na Lava Jato, com o objetivo de evitar que ele fizesse delação.

Na mira

A delação premiada instituída pela Lei 12850-13, isolada tem valor probatório algum. Mas no caso dos donos do Frigorífico JBS, pelo visto, é acompanhada de robusta prova, inclusive chips em mochilas e dinheiro marcado, além de filmagens e gravações.

Presa

A irmã do senador Aécio Neves, Andrea Neves, foi presa pela Polícia Federal em Belo Horizonte, Minas Gerais. Ela é alvo da mesma operação da Polícia Federal que está investigando o senador, após a delação de Joesley Batista, dono da JBS, justamente por ter supostamente estreitado a relação entre o irmão e Batista. A Polícia Federal fez buscas nos apartamentos e no gabinete de Aécio Neves, bem como no de Rodrigo Rocha Loures, deputado do PMDB, por envolvimento em corrupção. Aécio Neves e Rocha Loures foram afastados de seus cargos. A Procuradoria Geral da República pediu a prisão do senador, mas o ministro Edson Fachin concedeu o afastamento e vai encaminhar a decisão para plenário no STF.

O cheiroso

Aécio foi gravado solicitando R$ 2 milhões ao empresário e Rocha Loures foi filmado pela Polícia Federal recebendo valores do empresário. Na conversa gravada, Joesley e Aécio negociam de que forma seria feita a entrega do dinheiro. O empresário teria dito que se o senador recebesse pessoalmente o dinheiro, ele mesmo, Joesley, faria a entrega.

Proteína

Ao que tudo indica, a JBS não é somente especializada em proteína animal. Além de alimentar seus bois para o abate, alimenta também um grande esquema e corrupção.

Destino…

Aécio dizia que a Presidência não era desejo, era destino. Parece o destino ser agora outro, o cárcere. Há indícios de que Aécio cometeu crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Os partidos Rede e PSOL protocolaram anteontem, no Conselho de Ética do Senado, uma representação em que pedem a cassação do mandato parlamentar do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG). Meu Deus, a que ponto chegamos…

Última Edição

primeira

primeira