Tópicos da Semana – Edição de 21/12/19

Publicado em 21/12/2019 00:12

Por Lelo Sampaio.
Charge: Leandro Gusson (Tatto).

É Natal
Na próxima quarta-feira (25), celebraremos mais um Natal. Entretanto, como todos os anos, ao chegar à época natalina, muitos se perdem entre presentes, correrias às lojas, mesas fartas de comida e esquecem-se de que o Natal não é apenas isso. É tempo de celebrar o nascimento do nosso Salvador e assim deixar renascer em nossos corações o amor, a paz e a esperança.
No ano todo
No meio a tantas turbulências que passamos durante este ano, é tempo de renovarmos nossos pensamentos para o perdão, de esquecermos as tristezas e as amarguras e de fortalecermos nossos corações na fé ao Criador, na esperança que tenhamos um novo ano melhor, como menos tragédias, brigas, conflitos, ansiedades, tristezas e dissabores, pois estamos em época de fraternidade e união, e, por isso, devemos tentar que assim seja o ano todo, até porque nesta época nos comportamos da forma que deveríamos fazer ao longo de todo o ano.
Perdendo valor
Que não façamos deste Natal um sinônimo de consumismo, de presente com laço e de materialismo. Aproveitemos para comemorar com o coração repleto de sentimento, haja vista que para muitos o verdadeiro sentimento natalino parece ter perdido o seu real significado.
Triste ano
Independentemente de qualquer ideologia e com a despretensão de se fazer aqui uma retrospectiva do ano, precisamos concordar que o ano de 2019 foi demasiadamente pesado e muitas coisas aconteceram. Infelizmente a maioria delas não foi boa. Catástrofes, como o rompimento da barragem do córrego do Feijão, da mineradora Vale, localizada na cidade de Brumadinho; o incêndio que atingiu o Ninho do Urubu, como é conhecido o Centro de Treinamento do Flamengo, em Vargem Grande, na zona oeste do Rio de Janeiro, que deixou dez mortos e três feridos, todos jogadores das categorias de base do clube carioca, entre 14 e 17 anos; o tiroteio em uma escola pública de Suzano, que matou dez pessoas; perdas de muitas pessoas queridas; assassinatos em série e tantas outras tristezas fizeram parte de nossa vida. Ufa, chega!
Homofobia, sim
A youtuber, Karol Eller, amiga íntima da família Bolsonaro, assumidamente homossexual, foi brutalmente espancada no último domingo (15), no Rio de Janeiro. Seu rosto ficou bastante machucado. O ataque aconteceu sete dias após ela se mudar para aquela cidade, pois ganhou um cargo na Empresa Brasil de Comunicação (EBB). A notícia do emprego repercutiu na mídia, inclusive por ter o seu novo salário de R$ 10.700,00 divulgado.
Repugnante
Karol, que ficou conhecida por ter tentado espantar qualquer sombra homofóbica que rondava Bolsonaro nas eleições presidenciais, estava com a namorada em um quiosque na praia da Barra da Tijuca quando foi abordada por um homem que, já de forma violenta, a questionou como ela poderia namorar um ‘mulherão daqueles’. O que era uma provocação rapidamente virou agressão, haja vista que ela foi agredida a socos e pontapés. Ela foi socorrida apenas pela namorada quando já estava desacordada. As duas foram se arrastando até o Corpo de Bombeiros que fica próximo. Como se não bastasse toda a violência, os comentários que se seguiram nas redes sociais, muitos deles, foram os piores possíveis, comemorando tal atrocidade e fazendo referências a relação de amizade que a vítima possui com o presidente da República.
Dados
Segundo levantamentos feitos pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), a cada 23 horas acontece uma morte no país por homofobia. Somente de janeiro a 15 de maio deste ano, os estados com mais mortes em números absolutos foram São Paulo (22), Bahia (14), Pará (11) e Rio de Janeiro (9). O número de vítimas que morreu dentro de casa foi maior do que o em vias públicas, 36 contra 28. A principal causa da morte foi arma branca (39), seguida por arma de fogo (22), espancamento (13) e estrangulamento (8).
Passo à frente
Em junho deste ano, por oito votos a três, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) determinaram que a conduta passe a ser punida pela Lei de Racismo (7716/89), que hoje prevê crimes de discriminação ou preconceito por “raça, cor, etnia, religião e procedência nacional. O racismo é um crime inafiançável e imprescritível segundo o texto constitucional e pode ser punido com um a cinco anos de prisão e, em alguns casos, multa.
Mas o que está acontecendo?
Muitas vezes as coisas do mundo, como suas distrações, prazeres maléficos e fantasiosos e o dinheiro nos cegam e podem fazer-nos distanciar do caminho eterno, verdadeiro e milagroso, o caminho de Deus. Daí, então, sentimos a vida vazia, e chega uma hora em que é preciso perceber que necessitamos da orientação divina para nos sentirmos melhor, porque as coisas do mundo são vãs e insuficientes. Vemos então a necessidade interior de nos reaproximarmos de nosso amado Pai Celestial, de dar ouvidos ao seu sussurro e sentir a doce alegria de servir novamente a Deus.
O sopro da vida
Sem qualquer demagogia e com despropósito de doutrinar qualquer leitor, talvez seja este o momento de realmente percebermos o que é realmente importante em nossas vidas que, aliás, é um sopro. Já fomos provados muito este ano que podemos estar aqui neste instante e, num piscar de olhos, não mais ser morador desta dimensão.

Última Edição