Tópicos da Semana – Edição de 24/07/21

Publicado em 24/07/2021 00:07

Por Lelo Sampaio

Ainda é cedo
No dia 26 de junho a Holanda retirou as restrições a bares e clubes noturnos e voltou a permitir grandes eventos, isso porque as autoridades sanitárias acreditaram que já haviam atingido a chamada “imunidade de rebando”, mesmo o mundo todo estar passando pela pandemia da Covid-19. Desde então, o país tem visto o número de casos aumentar, principalmente entre os mais jovens.

Festa e contaminados
Cerca de 1.000 pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus em um festival de música na cidade de Utrecht, na Holanda, realizado em 3 e 4 de julho. Foram 20.000 presentes no evento que exigia comprovação de vacinação, infecção recente ou um teste negativo da Covid-19 na entrada. O fato é que as pessoas podiam entrar no festival imediatamente depois de serem vacinadas, quando, na realidade, leva várias semanas para que a imunidade seja construída depois da vacinação.

Erro na logística
O evento teve problemas no processo de testagem na entrada, haja vista que elas podiam realizar os testes até 40 horas antes do evento, permitindo a possibilidade de serem infectadas enquanto isso. Evidentemente que esse período é muito longo, que poderia ter sido de 24 horas, pois em 40 horas as pessoas podem fazer muitas coisas, como visitar amigos e ir a bares e clubes.

Liberdade
Na última segunda-feira (19), a Inglaterra derrubou todas as medidas de restrições impostas pela pandemia da Covid-19 e chegou então o que eles esperavam. Após 16 meses de restrições, chegou o “Freedom Day”, ou seja, o “Dia da Liberdade”. Entretanto, especialistas em saúde pública do país estão seriamente preocupados, pois muitos entendem ser cedo demais para suspender todas as medidas vigentes, considerando-se a propagação da variante Delta do coronavírus pelo país.

Ufa!
Para os comerciantes, contudo, foi um alívio poder voltar a operar normalmente. Todos os estabelecimentos, incluindo casas noturnas, bares e teatros, puderam abrir sem restrições. Os limites de lotação ditados pela pandemia deixam de vigorar, e medidas como o uso de máscaras sanitárias ou distanciamento social passam a ser uma opção pessoal, sem imposição obrigatória.

Cautela
Se lá, países de primeiro mundo, onde a vacinação contra a Covid-19 está extremamente avançada e as medidas de contenção do novo coronavírus são bem mais rigorosas, imaginemos aqui no Brasil, quando tivermos pelo menos 70% de toda a população completamente vacinada. Ainda é muito cedo para “liberar geral”, embora precisemos voltar às nossas vidas “normais”, voltar ao trabalho, enfim, sair deste sufoco econômico que estamos vivendo. Contudo, é necessária ainda muita cautela com relação a esse vírus que matou milhões e milhões de pessoas e cujas suas variantes ainda são um tiro no escuro. Que Deus tenha misericórdia de todos nós para que possamos voltar à vida que tínhamos antes, mesmo que com algumas pequeníssimas restrições.

Última Edição