Tópicos da Semana – Edição de 27/01/18

Publicado em 27/01/2018 00:01

Por Mário Aurélio Sampaio e Silva.

Charge: Leandro Gusson (Tatto).

Atoarda

Grande parte dos santafessulenses, como acontece com a maioria dos moradores de cidades pequenas, tem o triste hábito de inventar ou aumentar histórias. Na semana passada, por ocasião da enfermidade de uma pessoa muito conhecida, embora infelizmente tenha realmente falecido, antes, porém, vários boatos correram informando o seu passamento. Para os familiares e amigos, uma situação sórdida, e para tantos outros, a certeza de que são invenções de pessoas absolutamente desocupadas.
Conversa fiada

Boatos não faltam por aqui, típicos de tribos que têm o desejo puramente de fazer catarse em cima da desgraça alheia, como se dissessem para si mesmos: oh, como sou feliz, não sofro disso. Mais uma inverdade, lorota pura mesmo, surgiu assim que o secretário Municipal de Turismo, Ruy Reis, decidiu se afastar da pasta do Turismo, o que ocorreu no dia 8 deste mês. Evidentemente logo se espalhou a notícia que ele teria se desentendido com o prefeito e que seu substituto seria então o diretor do CIC – Centro Integrado de Cultura –, Jeter Carlos Romano Brachine, o que, embora nada ainda esteja decidido, não seria uma má ideia. A relação do prefeito com o ex-secretário, “infelizmente para alguns”, não poderia ser melhor.
Filho de peixe

Ruy Reis é filho de uma das pessoas mais íntegras de Santa Fé, Dirceu dos Reis, proprietário do São José Assessoria Contábil há mais de 30 anos. Ruy é seu braço direito na empresa da família há cinco anos, e recentemente se afastou parcialmente de suas funções justamente para assumir o cargo de secretário Municipal de Turismo, a convite do atual prefeito Ademir Maschio.
Pontos nos is

Segundo o ex-secretário, tanto o pai como o filho perceberam a necessidade de estarem juntos para o bom andamento da empresa, pois ambos estavam sofrendo um grande desgaste na lida com o escritório, haja vista que o filho, para exercer seu cargo na Administração com afinco, se viu obrigado a se afastar do escritório. Mesmo afastado, Ruy Reis continua ajudando a Administração, como, por exemplo, na organização do Carnaval, sem exigir do prefeito qualquer remuneração.
Feitos

Dentre os inúmeros trabalhos realizados no ano passado, há de se destacar os campeonatos de pesca masculino e feminino; o Books and Foods, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura; o Santa Fé Tattoo Fest; a Festa do Peixe; diversos portais receptivos nos feriados e final de ano; a obtenção de recursos junto ao Conselho Nacional do Sesi, na ordem de R$ 150 mil, para a realização do Sonho de Natal; entre tantos outros.
Dade

No ano passado, o então secretário pleiteou junto ao prefeito e Contur – Conselho Municipal de Turismo – a autorização da construção da Estação Ferroviária Lúdica, a ser construída na Praça Stelio Machado Loureiro, com a finalidade de ali dar início ao projeto de projeto permanente de city tour pelas belezas de Santa Fé. Outro grande projeto será, também, o Parque Linear II (avenida Mangará), onde será urbanizada uma área desprezada até então, promovendo no local, condições para os munícipes praticarem esportes ao ar livre, tendo em vista a alta densidade demográfica de habitantes residentes próximo ao local.
Dade II

Para este ano, houve a solicitação da intervenção na Biquinha, próximo ao Parque Linear II, para que ali seja construída uma fonte no estilo Portuguesa, beneficiando os frequentadores do local que buscam água para consumo, além de ser uma forma de urbanizar o local. Também foi solicitada a implantação de uma ciclovia na Vila Mariana até as Aguas Claras, com iluminação em Leds para passeios noturnos e maior segurança.
E mais

Há também um projeto de implantação de uma avenida na orla das Águas Claras, com início naquele local até o Loteamento Pousada da Paz, com iluminação, amplos calçadões, com iluminação em Leds e pontos de alimentação e hidratação.
Legado

“Acredito que o maior legado deixado foi conseguir ter um excelente acesso em todos os níveis da máquina pública, quer com secretários, quer com colaboradores. Hoje, discute-se Turismo em qualquer local da cidade, em qualquer roda de amigos, e isso talvez se deva pelo fato de termos conseguido transmitir a população que o turismo em Santa Fé é realidade, fonte de geração de emprego e renda”.
Legado II

“Conseguimos uma aproximação impar com a Associação Comercial, Sincomercio e Empresários. Transformamos ideias em realidade num Sonho de Natal magnífico aos olhos de todos, sempre pautando pela criatividade, não onerando os cofres públicos”.
Legado III

“Trabalhamos incansavelmente com a Secretaria de Comunicação, ‘vendendo’ nossa cidade em mídias interativas, redes sociais e televisivas, além de jornais e revistas, também sem onerar os cofres públicos. Funcionou, uma vez que 90% dos entrevistados na pesquisa de demanda viram ou ouviram de alguma forma nossa Estância Turística, sendo que destes, 38% por meio de televisão, 38% por meio da internet. Dos 478 entrevistados, 100% voltariam a Santa Fé”.

Última Edição